COTAÇÃO DE 27/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,7380

VENDA: R$4,7380

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8300

VENDA: R$4,9460

EURO

COMPRA: R$5,0781

VENDA: R$5,0797

OURO NY

U$1.853,86

OURO BM&F (g)

R$284,80 (g)

BOVESPA

+0,05

POUPANÇA

0,6462%

OFERECIMENTO

Economia Economia-destaque

“Teremos boas surpresas no desenrolar desta crise”, afirma Flávio Roscoe

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação
Durante nova edição do Fim de Tarde Sinduscon-MG, realizado de forma on-line na última segunda-feira (6), devido ao isolamento social causado pelo Covid-19, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Flávio Roscoe, afirmou que espera boas surpresas no desenrolar da crise.
Durante a palestra que teve como tema “Indústria nacional e mineira – Diagnósticos e Perspectivas”, Roscoe afirmou: “Muitos projetaram um cenário pior do que realmente está, com grandes perdas de empregos e desestruturação de setores”, disse o líder empresarial lembrando aos participantes virtuais que, historicamente, o crescimento do PIB de Minas Gerais é inferior ao do Brasil. “Desde 2002, Minas Gerais alcançou um PIB em nível 5,8 inferior ao Brasil”, pontuou.

 

Entretanto, para o presidente da Federação, esse cenário tem grande possibilidade de mudanças positivas, isso graças às ações governamentais. “O auxílio de R$ 600 está ajudando milhares de pessoas e irrigando a economia. Já a MP 936 possibilitou a manutenção de 12 milhões de empregos. Não vamos perder tantos empregos, devido aos esforços do governo”, ressaltou.

PUBLICIDADE




Roscoe salientou como outro ponto positivo a queda da taxa de juros Selic, que atualmente está a 2,25%. “O setor de construção civil é o maior ganhador desta queda”, afirmou. Segundo o empresário, devido ao isolamento social, a tendencia é a valorização das habitações. “O dinheiro que era direcionado ao lazer, está sendo utilizado na reforma e decoração de casas, locais em que as pessoas estão passando a maior parte do tempo”.

Como oportunidade a curto prazo para as indústrias, Roscoe apontou o direcionamento da capacidade produtiva para produtos e serviços ligados diretamente a crise, como a fabricação de máscaras, equipamentos de proteção individual e de higienização, manutenção de equipamentos hospitalares.

“Estamos vivendo uma nova fase de crescimento duradouro do país, tendo em vista as taxas baixas de juros e medidas desburocratizadoras. Temos certeza que a recuperação econômica será mais rápida do que o esperado e isso só depende de nós, brasileiros, finalizou o presidente da Fiemg.

“Flávio é um grande defensor da indústria em Minas e conseguiu, junto ao governo estadual, a possibilidade das indústrias continuarem operando neste momento de crise”, afirmou Geraldo Linhares, presidente do Sinduscon-MG. “A Fiemg também foi essencial para o combate do novo coronavírus no estado”, ressaltou.

PUBLICIDADE




Durante o evento aconteceu ainda a entrega do “21º Prêmio de Segurança do Trabalho Seconci-MG e Sinduscon-MG”. Confira os vencedores:

Categoria “Empresa Prevencionista”
-EPO Engenharia

Empresas com melhor média de pontuação (depois da EPO), agraciadas com o certificado “Empresa Prevencionista”
-Construtora Castor
-Somattos
-RKM Engenharia
-Conartes
-Direcional Engenharia

Categoria “Empresa Destaque na Área de Vivência”
Construtora Castor

Categoria “Operário Destaque na Segurança do Trabalho”
-Fernando Messias Figueiredo, mestre de Obras da EPO Engenharia

Também foi realizado o lançamento da 22ª edição do prêmio, que neste ano tem como tema “Boas práticas em Saúde e Segurança do Trabalho voltadas para o combate à Covid-19”.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!