COTAÇÃO DE 26/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$6,6420

VENDA: R$6,6450

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Usina da Gerdau atinge 35 anos em operação

COMPARTILHE

Maior unidade da empresa no mundo é referência em tecnologia para outras plantas da companhia | Crédito: Eduardo Rocha/RR

Foi aos pés da Serra de Ouro Branco, no município homônimo, que teve início em 1986 um dos maiores empreendimentos siderúrgicos de Minas Gerais. No início era Açominas e no ano de 1997 a empresa foi adquirida pela Gerdau, que seguiu investindo, ampliando e modernizando sua operação, ao passo que hoje a usina de Ouro Branco é a maior da Gerdau no mundo.

Com números expressivos, a unidade produz 4,5 milhões de toneladas de aço bruto por ano, em uma planta de 10.000.000 m². Com dois altos-fornos para produção de variados produtos em aço, como placas, chapas, blocos, bobinas laminadas, tarugos, perfis estruturais e fio máquina, a usina atende aos mercados de construção civil, automotivo, agrícola, energia, naval e ferroviário.

PUBLICIDADE

Ao todo são mais de 7 mil colaboradores circulando diariamente na planta, entre próprios e terceiros, sendo a maior parte deles moradores da região, que residem em Ouro Branco, Conselheiro Lafaiete e Congonhas.

O fomento econômico também se revela por meio das contribuições fiscais direcionadas ao município e ao Estado. Somente em 2020 a usina de Ouro Branco recolheu R$ 326 milhões em ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), outros R$ 121 milhões em IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), além de R$ 17 milhões em retenção de ISS (Imposto sobre Serviços).

“É um orgulho poder contribuir diretamente com a vida de tantas famílias, ajudando a moldar seu futuro, e atuar em um setor essencial para a sociedade moderna, que tem seus produtos como a peça-chave de toda uma cadeia econômica, sem deixar de olhar também para a segurança, a sustentabilidade e a responsabilidade social nas nossas operações”, comemora Rafael Gamboa, diretor industrial da usina de Ouro Branco.

Ao longo de seus 35 anos de existência a usina foi também se modernizando, caminhando junto com o desenvolvimento da indústria 4.0 no Brasil e se tornando uma importante referência em tecnologia para outras unidades da empresa no País. A unidade possui um centro de monitoramento de última geração e nele são monitorados os principais ativos/equipamentos estratégicos para a operação das usinas no Brasil, utilizando modelos de inteligência artificial de forma preditiva, antecipando possíveis problemas que venham a ocorrer. A área estima que as soluções de tecnologia e monitoramento instaladas na usina de Ouro Branco possibilitaram uma redução de custo para a empresa na ordem de R$ 50 milhões, entre 2018 e 2020.

Responsabilidade socioambiental – A presença da empresa na região também trouxe importantes ganhos sociais, econômicos e para o meio ambiente. Atualmente a Gerdau apoia cerca de 30 organizações e projetos nos municípios de Ouro Branco, Conselheiro Lafaiete e Congonhas, beneficiando por ano mais de 2.800 pessoas. Em 2021 a empresa investiu mais de R$ 5 milhões em apoio, ações e doações na região. Os projetos apoiados pela empresa contemplam áreas como empreendedorismo, cultura, arte, esportes, educação, patrimônio e saúde. Além de um programa de voluntariado estruturado entre os funcionários da unidade.

Outro destaque é o trabalho de educação e preservação ambiental que são desenvolvidos há mais de 30 anos em Ouro Branco e outros municípios do Alto Paranaíba, por meio do programa Gerdau Germinar. A iniciativa abrange escolas e comunidades promovendo capacitações, rodas de conversa e outras iniciativas de conscientização ambiental, promovendo uma reflexão sobre a relação entre o ser humano e a natureza.

Desde 2004 a iniciativa conta com um espaço especial, o Biocentro, permitindo que esses ensinamentos ganhassem ainda mais força. Em uma área verde de 1.247 hectares é estimulada a prática da educação ambiental, estudos e pesquisas, onde os estudantes têm acesso a ambientes interativos como a Praça dos Biomas, Trilhas de Interpretação Ambiental, Ovolândia, Horta Orgânica e a Casa Sustentável. Nesses 30 anos do Programa Gerdau Germinar, já foram beneficiadas mais de 465 mil pessoas, entre estudantes, educadores e membros das comunidades, além dos colaboradores da empresa. O programa já realizou 153 mil visitas técnicas de alunos ao Biocentro e desenvolveu mais de 16 mil projetos socioambientais com escolas e comunidades. 

“A preservação do meio-ambiente e a sustentabilidade são valores que estão no DNA da Gerdau, mantemos em todo o Estado diversas iniciativas voltadas para esses temas e em especial em Ouro Branco temos a felicidade de manter uma estrutura diferenciada que proporciona conhecimentos e novas perspectivas para as novas gerações há mais de três décadas”, ressalta Francisco Couto, gerente de sustentabilidade da Gerdau em Minas.

Além disso, no sopé da Serra de Ouro Branco, a Gerdau preserva 1.247 hectares de um extenso e rico patrimônio natural, por meio de uma RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) criada pela empresa em 2008. A unidade de conservação possui rica vegetação que transita entre o Cerrado e a Mata Atlântica e abriga uma extensa diversidade biológica, incluindo espécies raras da flora brasileira.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!