Crédito: REUTERS/Sergio Moraes

São Paulo – A Petrobras informou na sexta-feira (3) o início do processo para a venda, pela sua subsidiária integral de biocombustíveis PBIO, de três usinas de biodiesel, segundo fato relevante. Entre os ativos está a usina da companhia em Montes Claros, no Norte de Minas.

A transação não inclui a venda das participações societárias da PBIO na BSBios (50%) e na Bambuí Bioenergia (8,4%), ressaltou a Petrobras.

A PBIO foi fundada em 2008 e é uma das maiores produtoras de biodiesel do País, com 5,5% de market share em 2019, de acordo com a estatal.

A empresa quer vender as usinas de biodiesel em Montes Claros, com capacidade produtiva de 167 mil metros cúbicos/ano; Candeias (BA), com capacidade produtiva de 304 mil metros cúbicos/ano, e Quixadá (CE), em estado de hibernação com capacidade produtiva de 109 mil metros cúbicos/ano.

As três usinas são capazes de utilizar uma mistura de até cinco matérias-primas diferentes (óleo de soja, de algodão e de palma, gordura animal e óleos residuais) para produção de biodiesel, capturando vantagens na dinâmica sazonal dos preços.

Os projetos de desinvestimento das participações detidas pela PBIO na BSBios e Bambuí Bionergia estão em andamento separadamente, acrescentou a Petrobras.
Segundo a Petrobras, esses desinvestimentos estão alinhados às estratégias de otimização de portfólio e melhor alocação de capital da companhia.

A petroleira tem dado impulso a vendas de ativos para reduzir sua dívida e focar na produção e exploração de recursos em águas profundas e ultraprofundas, no pré-sal. (Reuters)