COTAÇÃO DE 20/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8730

VENDA: R$4,8740

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,9500

VENDA: R$5,0570

EURO

COMPRA: R$5,1492

VENDA: R$5,1504

OURO NY

U$1.846,53

OURO BM&F (g)

R$288,58 (g)

BOVESPA

+1,39

POUPANÇA

0,6441%

OFERECIMENTO

Economia Economia-destaque livre

Vamos usar recursos dos IPOs para expandir crédito imobiliário, diz presidente da Caixa

COMPARTILHE

Crédito: Charles Silva Duarte/Arquivo DC

São Paulo – O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou que usará os recursos captados com as parcerias que suas subsidiárias têm feito e com a possível abertura de capital dos braços de cartões e seguros do banco para pagar dívida e para expandir as carteiras de crédito imobiliário e de infraestrutura.

“O primeiro passo é pagar dívida. Não podemos ter uma dívida de vencimento e não pagar. Além disso, queremos continuar crescendo a carteira [de crédito] em alguns segmentos específicos, como crédito imobiliário e para infraestrutura” afirma ele, destacando que “o movimento de expansão do crédito é algo que já vem acontecendo e que não depende desses recursos para continuar”.

PUBLICIDADE




A dívida à qual Guimarães se refere é o Instrumentos Híbridos de Capital e Dívida (ICHD), adotado entre 2007 e 2013 para permitir que o banco aumentasse sua oferta de crédito sem que o seu controlador (a União) tivesse que capitaliza-lo com recursos próprios.

Além das duas joint ventures já anunciadas para a Caixa Seguridade, o banco também projeta outras quatro parcerias para a Caixa Cartões ainda neste ano -duas delas também formando novas sociedades. O presidente do banco afirmou, ainda, que o IPO do braço de seguros deve sair em breve, mas não cravou uma data.

Para o crédito imobiliário, carro-chefe da Caixa, Guimarães afirma ainda que o lançamento da linha prefixada será nos próximos meses e que as taxas de juros serão abaixo de 10%.
Ele destaca, também, que o financiamento de imóveis atrelado ao IPCA garantirá a securitização de parte da carteira do banco.

Outra linha que a Caixa também deve focar seus esforços é no microcrédito. O objetivo, segundo Guimarães é alcançar os 30 milhões de clientes e proporcionar uma forte redução dos juros na modalidade.

PUBLICIDADE




(Folhapress – Isabela Bolzani)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!