COTAÇÃO DE 06/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3640

VENDA: R$5,3650

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3470

VENDA: R$5,5200

EURO

COMPRA: R$6,4639

VENDA: R$6,4668

OURO NY

U$1.786,86

OURO BM&F (g)

R$309,04 (g)

BOVESPA

+1,57

POUPANÇA

0,1590%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque livre

Vamos usar recursos dos IPOs para expandir crédito imobiliário, diz presidente da Caixa

COMPARTILHE

Crédito: Charles Silva Duarte/Arquivo DC

São Paulo – O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou que usará os recursos captados com as parcerias que suas subsidiárias têm feito e com a possível abertura de capital dos braços de cartões e seguros do banco para pagar dívida e para expandir as carteiras de crédito imobiliário e de infraestrutura.

“O primeiro passo é pagar dívida. Não podemos ter uma dívida de vencimento e não pagar. Além disso, queremos continuar crescendo a carteira [de crédito] em alguns segmentos específicos, como crédito imobiliário e para infraestrutura” afirma ele, destacando que “o movimento de expansão do crédito é algo que já vem acontecendo e que não depende desses recursos para continuar”.

PUBLICIDADE

A dívida à qual Guimarães se refere é o Instrumentos Híbridos de Capital e Dívida (ICHD), adotado entre 2007 e 2013 para permitir que o banco aumentasse sua oferta de crédito sem que o seu controlador (a União) tivesse que capitaliza-lo com recursos próprios.

Além das duas joint ventures já anunciadas para a Caixa Seguridade, o banco também projeta outras quatro parcerias para a Caixa Cartões ainda neste ano -duas delas também formando novas sociedades. O presidente do banco afirmou, ainda, que o IPO do braço de seguros deve sair em breve, mas não cravou uma data.

Para o crédito imobiliário, carro-chefe da Caixa, Guimarães afirma ainda que o lançamento da linha prefixada será nos próximos meses e que as taxas de juros serão abaixo de 10%.
Ele destaca, também, que o financiamento de imóveis atrelado ao IPCA garantirá a securitização de parte da carteira do banco.

Outra linha que a Caixa também deve focar seus esforços é no microcrédito. O objetivo, segundo Guimarães é alcançar os 30 milhões de clientes e proporcionar uma forte redução dos juros na modalidade.

(Folhapress – Isabela Bolzani)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!