COTAÇÃO DE 21/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6670'

VENDA: R$5,6680

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6800

VENDA: R$5,8270

EURO

COMPRA: R$6,5669

VENDA: R$6,5699

OURO NY

U$1.783,12

OURO BM&F (g)

R$323,30 (g)

BOVESPA

-2,75

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia exclusivo zCapa

Vendas de aço têm retração de 6,9% em março no País

COMPARTILHE

Estoque de aços planos na rede de distribuição cresceu 0,9% e atingiu 846,9 mil toneladas | Crédito: Divulgação

As vendas de aço pelas distribuidoras no País tiveram uma queda de 6,8% no mês de março (265,3 mil toneladas) na comparação com fevereiro (284,6 mil toneladas). Em relação ao mesmo período do ano passado (312,9 mil toneladas), o recuo apresentado foi de 15,2%.

Os dados foram divulgados nessa quinta-feira (23) pelo Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda).

PUBLICIDADE

De acordo com o presidente da entidade, Carlos Loureiro, a baixa nos números tem uma grande influência da disseminação do novo coronavírus (Covid-19) e das medidas de isolamento social adotadas como forma de combate à doença.

“Até mais ou menos o dia 20 de março, as vendas vinham crescendo em relação a fevereiro, sendo que o aumento girava em torno de 10%. A partir do dia 20 de março, com o isolamento social, as vendas caíram fortemente”, destaca.

Os resultados, porém, tendem a recuar ainda mais em abril. Segundo Carlos Loureiro, a queda prevista é de cerca de 45% em relação a março devido à baixa na produção industrial, principalmente a automobilística. De acordo com ele, o único setor que atualmente está “mais ou menos” é o da construção civil.

E, apesar de dizer que as coisas ainda não estão muito claras em relação ao futuro, as projeções para o fechamento do primeiro semestre deste ano também já são bem negativas. “Devemos fechar este semestre com queda de 35% em relação ao mesmo período de 2019”, diz ele.

Além disso, caso haja uma recuperação do mercado, o presidente do Inda projeta mesmo assim uma queda de cerca de 25% das vendas do aço no País em 2020.

Preços – Mesmo com a diminuição da demanda, ainda não se fala em redução dos preços do produto, segundo Carlos Loureiro. “As usinas não estão fazendo nenhuma concessão especial de preço neste mês, apesar da queda muito grande. Não adianta baixar os preços, pois a venda está muito fraca”, salienta.

Mais números – Os dados do Inda também mostram que as compras de aço em março (272, 5 mil toneladas) apresentaram um recuo de 11% em relação a fevereiro (306,2 mil toneladas). Na comparação com igual período do ano passado (273,4 mil toneladas), a queda foi de 0,3%.

O estoque do mês passado apresentou crescimento de 0,9% em comparação a fevereiro, alcançando 846,9 mil toneladas. Já o giro dos estoques teve um fechamento com alta em 3,2 meses.

No que diz respeito às importações, o recuo foi de 9,6% em março numa comparação com o mês anterior, chegando a 58,5 mil toneladas. Na comparação com igual período de 2019 (122,9 mil toneladas), a queda foi de 52,4%.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!