Cotação de 03/08/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,1920

VENDA: R$5,1930

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1930

VENDA: R$5,3470

EURO

COMPRA: R$6,2205

VENDA: R$6,2217

OURO NY

U$1.810,36

OURO BM&F (g)

R$305,16 (g)

BOVESPA

+0,87

POUPANÇA

0,2446%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Vendas do varejo sobem em fevereiro, mas piora da pandemia desafia setor

Comércio apresentou no segundo mês do ano alta de 0,6% em relação a janeiro

COMPARTILHE

POR

comércio consumo
Apesar da alta, indicador para o mês foi o pior desde início da série | Crédito: Pilar Olivares/Reuters

São Paulo – As vendas no varejo do Brasil voltaram a aumentar em fevereiro, após dois meses de perdas e impulsionadas pelo retorno às aulas, mas passam a enfrentar agora a piora da pandemia de Covid-19 e restrições cada vez mais rigorosas.

O setor apresentou em fevereiro alta de 0,6% nas vendas em relação ao mês anterior, depois de acumular perdas de 6,3% em dezembro e janeiro, meses em que foram impactadas pelo fim do auxílio emergencial fornecido pelo governo.

PUBLICIDADE

O resultado divulgado, nesta terça-feira, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficou em linha com a expectativa em pesquisa da Reuters, e o varejo está agora 0,4% acima do patamar pré-pandemia de fevereiro de 2020.

Em relação a fevereiro de 2020, houve queda de 3,8%, contra expectativa de recuo de 3,9%.

O setor varejista do Brasil enfrenta agora o endurecimento das medidas de combate ao coronavírus no momento em que o País se torna o epicentro mundial da pandemia.

O desemprego ainda elevado e a inflação alta se somam aos obstáculos diante do comércio nacional.

“Olhando para os próximos meses, as novas restrições de mobilidade pelo País, a aceleração da inflação, o desemprego em expansão e o pagamento do auxílio emergencial em menor magnitude do que em 2020 são fatores que devem contribuir para a perda de tração do comércio brasileiro no curto prazo”, avaliou a equipe econômica do banco Orginal em nota.

“Para 2021, no entanto, ainda esperamos um crescimento do setor, sustentado pela recuperação gradual da pandemia e pela reversão da poupança precaucional feita pelas famílias mais ricas no ano passado em consumo”, completou.

Em fevereiro, quatro das oito atividades pesquisadas tiveram alta, com o maior crescimento sendo registrado por livros, jornais, revistas e papelaria, de 15,4%.

“Janeiro é um mês de contas extraordinárias, como IPTU e IPVA, então é comum um consumo menor no comércio. Já em fevereiro, temos a volta do orçamento mensal das famílias a uma maior normalidade e o retorno dos alunos às escolas, aquecendo as compras de material escolar”, explicou o gerente da pesquisa, Cristiano Santos.

Entretanto, essa atividade teve queda de 41% na comparação com fevereiro de 2020, segundo o IBGE, pelo fato de muitas escolas públicas ainda não terem iniciado o novo ano letivo e porque muitas escolas não retomaram as aulas presenciais.

Atividades

Também apresentaram aumento das vendas em fevereiro e janeiro as atividades de móveis e eletrodomésticos (9,3%), tecidos, vestuário e calçados (7,8%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,8%).

As perdas aconteceram em outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,5%), combustíveis e lubrificantes (-0,4%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-0,4%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,2%).

No chamado comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças e de material de construção, as vendas tiveram aumento em fevereiro de 4,1%, impulsionadas pela alta de 8,8% de veículos, motos, partes e peças.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!