COTAÇÃO DE 19/01/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5600

VENDA: R$5,5600

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5770

VENDA: R$5,7130

EURO

COMPRA: R$6,2610

VENDA: R$6,2639

OURO NY

U$1.814,31

OURO BM&F (g)

R$322,84 (g)

BOVESPA

+0,28

POUPANÇA

0,6310%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia
" "

São Paulo – As vendas em shopping centers do Brasil em agosto subiram 8,6% em relação ao mesmo período de 2017 e 1,1% sobre julho, impulsionadas pelas compras de Dia dos Pais e por liquidações, informou nesta sexta-feira a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce).

O desempenho do setor no período superou a alta de 7,8 % das vendas em lojas de rua, mostrou o levantamento. Entre os segmentos, o destaque foi vestuário, com crescimento de 13,25% no mês, seguido por perfumaria, produtos para o lar, telefonia e artigos diversos.
No acumulado do ano até agosto, os shopping centers venderam 3,8% mais que nos oito primeiros meses de 2017, o que segundo a Abrasce endossa uma perspectiva otimista para 2018, apesar das incertezas no ambiente político.

PUBLICIDADE




“O setor tem acumulado um desempenho de crescimento em torno de 4%, o que nos deixa otimistas e confiantes em fechar o ano dentro do previsto, com alta entre 5% e 6%”, afirmou Glauco Humai, presidente da associação, em nota, alertando para a aproximação de datas importantes no varejo, como Black Friday e Natal.

Na véspera, o presidente da Abcomm, Maurício Salvador, informou que o comércio eletrônico deve faturar mais com a Black Friday neste ano.

Em agosto, além das vendas, outro indicador do setor de shopping centers que apresentou melhora foi a taxa de vacância, que foi a 4,5%, menor nível de 2018, segundo levantamento.

“Reforço sempre que os shoppings não são mais apenas centro de compras, passaram a ser espaços de conveniência e conveniência com uma oferta de mix e serviços cada vez mais abrangente”, disse Humai.




Segundo a pesquisa da Abrasce, os shoppings brasileiros têm expectativa de crescimento de 5% de contratações temporárias em 2018, em comparação a 2017, e o segmento de vestuário é o que disponibilizará maior número de vagas. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!