COTAÇÃO DE 14/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2710

VENDA: R$5,2710

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2700

VENDA: R$5,4330

EURO

COMPRA: R$6,3961

VENDA: R$6,3990

OURO NY

U$1.843,90

OURO BM&F (g)

R$311,62 (g)

BOVESPA

+0,97

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque exclusivo

Weg anuncia acordo de compra de planta da Tsea em Betim

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação

A Weg S.A anunciou acordo de compra com a Transformadores e Serviços de Energia das Américas S.A (Tsea) para a aquisição da fábrica de transformadores, situada Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A unidade é considerada estratégica para que a Weg atenda os importantes investimentos em infraestrutura que devem ocorrer nas américas nos próximos anos. A transação, cujo valor não foi divulgado, está sujeita ao cumprimento de determinadas condições e à aprovação pelas autoridades de proteção à concorrência (Cade).

A unidade de Betim foi construída em 2013 pela Toshiba, que vendeu a indústria em março de 2019 para a Tsea. A fábrica possui 32,5 mil metros quadrados de área construída e conta com equipamentos e instalações de última geração. A equipe é composta por 250 colaboradores. Especializada na fabricação de transformadores de força, reatores shunt e autotransformadores de força com classe de tensão até 800kV e potência até 500MVA, o investimento é considerado estratégico.

PUBLICIDADE

De acordo com o diretor superintendente da unidade Transmissão & Distribuição da Weg, Carlos Diether Prinz, o aporte será importante para que a empresa possa atender a demanda do mercado nos próximos anos, já que a tendência é de ampliação dos investimentos em infraestrutura.

A aquisição da unidade de Betim foi considerada estratégica por três motivos. O primeiro pela fabrica ser bastante moderna, em termos de equipamentos, instalações e tecnologia.

“A unidade foi construída em 2013 e reúne o estado da arte em termos de produção de transformadores de grande porte”, explicou Prinz.

Ainda segundo Prinz, o segundo motivo é que além da aquisição dos terrenos, máquinas e equipamentos, a equipe de colaboradores é altamente capacitada.

“Estamos falando de cerca de 250 colaboradores com vasta experiência e muito conhecimento a nível de produção de transformadores de força. Então, estamos somando um ativo humano muito importante para a Weg, que sempre foi uma empresa muito voltada para a valorização dos colaboradores”.

O terceiro motivo é que a empresa está vislumbrando, em toda a América Latina, uma continuidade de mercado forte em termos de transformadores de grande porte. Os produtos também poderão ser exportados para a África.

“O mercado deve se manter forte, não só no Brasil, mas em todos os países, principalmente, da América do Sul”.

Em relação à representatividade da unidade nos negócios da Weg, Prinz explica que ainda não é possível mensurar, mas, pelo tipo de produto, que são transformadores de grande porte até 800kV e potência até 500MVA, a unidade terá importância no portfólio da Weg transmissão e distribuição bem significativa.

“É uma linha de produtos que, para nós, é bem estratégica e a empresa, nos últimos anos, investiu mais nesta linha de produtos. É também uma linha que a gente acredita que o Brasil tem uma necessidade de demanda muito grande. Nós estamos vendo os últimos leilões de transmissão e de geração de energia. Temos muito o que fazer no Brasil em infraestrutura, todos estes segmentos da economia necessitam da linha de produtos que é, justamente, fabricado e Betim. Então, sem duvida será uma unidade estratégica e relevante para a Weg”.

Investimentos – No momento não estão previstos investimentos na unidade de Betim, porém, em função da área total de 145 mil metros quadrados e a área construída de apenas 32,5 mil metros quadrados, futuros investimentos da Weg podem ser direcionados para a planta mineira.

“Sem dúvidas, os investimentos futuros da nossa área de transmissão e distribuição vão ter olhos bem atentos para a unidade que tem terrenos disponíveis. Neste momento, não temos nada desenhado, mas pela localização geográfica e pela disponibilidade de área vai ser o parque fabril que, no futuro, vai se desenvolver mais”, disse Prinz.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!