Crédito: Divulgação

Bruno França Pádua *

Mesmo diante de um cenário que contém incertezas, os empresários estimam que 2020 seja um bom ano para os negócios. Afinal, a reforma tributária e a reforma administrativa, que estão em tramitação, juntamente com as projeções de crescimento do PIB e a redução na taxa Selic, poderão ser pontos positivos para os empreendedores.

Além disso, de acordo com a pesquisa realizada pela Deloitte, no final do ano passado, a preocupação com as transformações disruptivas está no radar das empresas. Cerca de 74% das organizações entrevistadas pretendem fazer investimentos em novas tecnologias, independente do cenário econômico e de negócios. No entanto, o número salta para 94% caso haja melhoria na economia do País, como é esperado.

Quando se trata de ampliação e criação de ações de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), a mesma pesquisa aponta que, se os cenários supracitados melhorarem, 80% das entrevistadas têm intenção de investir nesse tipo ação. Ou seja, a pesquisa e desenvolvimentos também aponta para um assunto bem pautado em 2020, a inovação aberta.

A inovação aberta é responsável por unir competências complementares de diferentes profissionais, ideias, universidades, centros de pesquisas, startups e, até mesmo, empresas concorrentes com um único objetivo: encontrar soluções para os desafios enfrentados pelas instituições.

Para exemplificar esse modelo de inovação, que tem ganhado cada vez mais espaço nas empresas, podemos ilustrar com o Mining Hub, um hub de inovação que tem a iniciativa de estimular o desenvolvimento de soluções inovadoras para o setor da mineração. Este é um dos projetos executados pela Neo Ventures, uma aceleradora corporativa que auxilia grandes empresas no desenvolvimento de projetos de inovação.

Ele conta com grandes empresas do setor minerário e startups trabalhando em conjunto para resolver questões como a eficiência operacional, fontes de energia alternativas e gestão da água, por exemplo.

Outro exemplo, é o iCON Hub, um espaço para promoção da inovação aberta voltada para o setor da construção civil. Uma iniciativa que visa promover projetos de inovação aberta por meio do mapeamento dos desafios tecnológicos das construtoras.

Essa colaboração entre profissionais é o sinal verde para um ano de crescimento e, também, no incentivo à inovação, às novas tecnologias. Uma forma que as empresas têm de crescer e se manter no mercado, gerando economia e novas oportunidades.

Portanto, investir em novas tecnologias, treinamento e formação dos colaboradores, são parte essencial para o crescimento dos negócios, uma vez que a tecnologias associadas à inovação constante proporcionam uma melhor qualidade nos produtos e serviços do empreendimento que, por consequência, também tem melhores retornos.

*Diretor executivo da Neo Ventures