COTAÇÃO DE 07/12/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6890

VENDA: R$5,6900

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,7130

VENDA: R$5,6900

EURO

COMPRA: R$6,4094

VENDA: R$6,4123

OURO NY

U$1.779,64

OURO BM&F (g)

R$325,16 (g)

BOVESPA

+1,70

POUPANÇA

0,4572%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Internacional

Desafios logísticos dificultam avanço da vacinação contra a Covid-19 na África

COMPARTILHE

POR

Crédito: REUTERS/Francis Kokoroko

Nairóbi – Muitos países africanos estão enfrentando problemas logísticos para acelerar suas campanhas de imunização contra a Covid-19, à medida que a chegada de vacinas no continente finalmente aumenta, disse o chefe do órgão de controle de doenças da África ontem.

Apenas 6,6% da população africana de 1,2 bilhão de pessoas está totalmente vacinada, disse John Nkengasong, chefe do Centro Africano para Controle e Prevenção de Doenças (CDC da África), em coletiva de imprensa virtual.

PUBLICIDADE

Isso significa que a África está longe de atingir o objetivo da União Africana de vacinar completamente 70% das pessoas até o final de 2022, disse ele.

“O que estamos vendo agora é muito mais vacinas chegando e o recebimento sendo desafiado por causa de logística e entrega”, disse Nkengasong. “Não se trata necessariamente de hesitação, mas de transportar as vacinas do aeroporto para os braços (das pessoas), trata-se de logística”.

A lenta absorção das vacinas pela África também está afetando o setor de saúde, onde apenas um em cada quatro trabalhadores foi totalmente vacinado, disse o escritório da Organização Mundial de Saúde na África.

“A menos que nossos médicos, enfermeiras e outros funcionários da linha de frente recebam proteção total, corremos o risco de um revés nos esforços para conter esta doença”, disse Matshidiso Moeti, diretor regional da OMS para a África, em um briefing separado.

Nkengasong disse que a República Democrática do Congo e os Camarões enfrentam desafios logísticos específicos.

O Congo administrou cerca de 168 mil doses de vacinas contra a Covid-19, apontou um monitoramento da Reuters, o suficiente para vacinar totalmente 0,1% da população.

Em abril, as autoridades realocaram para outros países africanos a maior parte das 1,7 milhão de doses da vacina contra a Covid-19 que o Congo havia recebido um mês antes pelo consórcio Covax porque estavam para vencer.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!