COTAÇÃO DE 19/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5930

VENDA: R$5,5940

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,7770

EURO

COMPRA: R$6,4569

VENDA: R$6,4588

OURO NY

U$1.768,97

OURO BM&F (g)

R$315,96 (g)

BOVESPA

-3,28

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios

54% das empreendedoras operam em níveis similares ao período pré-crise

COMPARTILHE

Crédito: Freepik

Estudo realizado com milhares de empreendedoras de pequenas e médias empresas (PMEs) em diferentes regiões do mundo, inclusive no Brasil, o Visa Back to Business 2021 – Edição Mulheres traz uma análise de como essas mulheres têm administrado seus próprios negócios durante a pandemia.

Mesmo em um cenário desafiador, as empreendedoras continuaram a provar sua resiliência, mostrando dedicação em manter um ambiente seguro e adequado para clientes e empregados, o que tem refletido diretamente em seus resultados, muitos já igualados aos mesmos níveis pré-Covid: globalmente, 54% das PMEs lideradas por mulheres já estão operando totalmente e 24% preveem chegar lá em até seis meses. No Brasil essas porcentagens são de 50% e 21%, respectivamente. Ainda olhando para a realidade brasileira, apenas 38% enxergaram no cenário da pandemia uma oportunidade frente às dificuldades.

PUBLICIDADE

Realizado em novembro de 2020, o estudo analisa o andamento das operações dessas PMEs a partir do relato de suas proprietárias, tomando como base os três meses anteriores à abordagem e os três meses que viriam adiante – até fevereiro de 2021. Foram ouvidas mulheres donas de PMEs nos segmentos de varejo, consultorias, construtoras, restaurantes e turismo.

Diante de todo esse contexto analisado, essas PMEs lideradas por mulheres em todo o mundo fizeram mudanças relevantes em seus negócios no último ano, acompanhando tendências, transformando suas vendas de forma mais segura e lançando mão da tecnologia.

Globalmente, mais de quatro em cada cinco dessas lideranças femininas em pequenas e médias empresas (84%) adotaram medidas para adaptar seus métodos de pagamento e atender às necessidades de seus compradores. As medidas mais comuns citadas foram que 45% delas passaram a vender seus produtos no mundo online e 43% passaram a aceitar pagamentos por aproximação.

As empreendedoras brasileiras também caminharam nesse sentido em 2020:

• 69% delas afirmaram ter feito investimentos em mídias sociais
• 58% passaram a realizar vendas de produtos ou serviços no e-commerce;
• 52% passaram a adotar o pagamento por aproximação;
• 43% passaram a contar com serviço de delivery;
• 31% ofereceram diversas alternativas de pagamentos digitais;
• 26% implementaram drive thru para retirada de produtos no estabelecimento comercial;
• E apenas 8% delas admitiram ter realizado empréstimo nos meses anteriores à pesquisa.

Os maiores desafios citados pelas brasileiras estão relacionados às mudanças de comportamento do consumidor, com 49% das respostas, seguido por preocupações sobre como equilibrar questões profissionais e pessoais (37%); manter a segurança e saúde de seus funcionários (30%); gerar lead/marketing (28%); ter acesso a capital (28%); enfrentar barreiras tecnológicas (14%); manter a cadeia de abastecimento dos produtos (12%); ou questões como a inadimplência e chargeback (11%).

Quando perguntado sobre uma possível piora da economia nos meses seguintes à análise, 47% das entrevistadas demonstraram anseios por ter que encerrar suas atividades. Outra preocupação constante no País ainda diz respeito às fraudes on-line (86%), que despertam sua atenção para a implementação de tecnologias para prevenção e combate.

Olhando para o futuro, elas afirmaram interesse em manter essas iniciativas adotadas anteriormente nos meses seguintes. No Brasil, a maioria reforçou a importância de permanecer no ambiente virtual (62%) e seguir investindo em mídias sociais (73%).

Consideram importante também continuar investindo em iniciativas que ofereçam melhor experiência de compra aos seus clientes, tais como maior segurança (43%) e opções de pagamentos eletrônicos, como por mobile no ponto de venda (40%) e por aproximação (36%), pois entendem que esses elementos são fundamentais para que sejam escolhidas como uma opção.

Em relação ao uso de pagamentos por aproximação, especificamente, 62% delas acreditam que as pessoas continuarão optando por essa forma de pagar, mesmo após a vacina contra a Covid-19.

“Esta edição especial do Visa Back to Business 2021 – Mulheres reafirma o potencial que elas possuem em transformar suas próprias realidades, impactando para além de suas vidas e movimentando economicamente e digitalmente todo o seu entorno, o que na Visa é bastante incentivado por meio de diversas frentes. Nós acreditamos no empreendedorismo feminino. Por isso, investimos em pesquisas como esta, além de uma série de iniciativas voltadas para a promoção e desenvolvimento dessas mulheres”, afirma a diretora executiva da Visa do Brasil, Sabrina Sciama.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!