COTAÇÃO DE 26/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$6,6420

VENDA: R$6,6450

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios Negócios-destaque

DC LIVROS | 06/06

COMPARTILHE

Como indivíduos e nações bem-sucedidas se recuperam das crises

A abordagem e a análise originais fizeram do geógrafo americano Jared Diamond um dos maiores nomes do pensamento contemporâneo. Em seu novo livro Reviravolta: Como indivíduos e nações bem-sucedidas se recuperam das crises / Upheaval: turning points for nations in crisis, o professor da Universidade da Califórnia estabelece um instigante paralelo entre nações e indivíduos em crise.

Dessa forma, a leitura de seu novo livro é altamente recomendável tanto para quem está em busca de desenvolvimento pessoal quanto para pesquisadores, gestores e demais desenvolvedores de políticas públicas. Diamond estuda o caso específico de sete países com os quais têm mais afinidade – Finlândia, Japão, Chile, Indonésia, Alemanha, Austrália e Estados Unidos – e que conseguiram superar momentos desafiadores para pensar o futuro da humanidade como um todo. (Reviravolta: Como indivíduos e nações bem-sucedidas se recuperam das crises / Upheaval: turning points for nations in crisis, Jared Diamond, tradução de Alessandra Bonrruquer, Editora Record, 504 páginas, R$ 69,90)

Capitalismo na América: Uma história

PUBLICIDADE

O economista Alan Greenspan, o segundo mais longevo dirigente da autoridade monetária dos Estados Unidos, o Federal Reserv Bank, se propôs a uma tarefa grandiosa depois que se aposentou do cargo que ocupou por quase duas décadas: escrever a história do sistema capitalista em seu país.

O resultado está em Capitalismo na América: Uma história, escrito em parceria com o jornalista e histioriador inglês Adrian Wooldridge, editor da revista “The Economist”. Com uma riqueza de dados estatísticos sobre a evolução econômica através dos séculos e uma galeria de personagens históricos, a obra rapidamente foi rapidamente alçada à condição de referência para estudantes, economistas e historiadores. O conceito que norteia a análise crítica é o da “destruição criativa”, cunhado por Joseph Schumpter.

É a partir desta perspectiva que a dupla de autores traça um riquíssimo panorama desde os tempos coloniais, passando pela virada do século XIX para o XX até chegar aos dias de hoje com uma reflexão sobre o antagonismo chinês. Para o público brasileiro, Capitalismo na América: Uma história se apresenta como matéria-prima valiosa para um estudo comparativo com o próprio Brasil e também para analistas que acompanham a corrida eleitoral dos Estados Unidos, no momento em que são realizadas as convenções do Partido Democrata. (Capitalismo na América: Uma história / Capitalism in America: A History, Alan Greenspan e Adrian Wooldridge, tradução de Catharina Pinheiro, Editora Record, 518 páginas, R$ 53)

Liderança em tempos de crise

Os líderes já nascem prontos ou tornam-se líderes? De onde vem a ambição? Como a adversidade afeta o crescimento da liderança? O líder faz os tempos ou os tempos fazem o líder? Liderança em tempos de crise é o resultado de cinco décadas de estudo sobre a história presidencial norte-americana.

A vencedora do Pulitzer Doris Kearns Goodwin escolheu quatro presidentes que analisou de forma mais atenta – Abraham Lincoln, Theodore Roosevelt, Franklin D. Roosevelt e Lyndon B. Johnson – para mostrar como eles reconheceram suas próprias qualidades de liderança e foram identificados como líderes pelos outros.

Apesar das diferenças de contexto, habilidades e temperamentos, estes homens compartilhavam uma ambição e resiliência determinantes, que lhes permitiram superar as dificuldades mais incomuns. (Liderança em tempos de crise / Leadership in turbulent times, Doris Kearns Goodwin, tradução de Alessandra Bonrruquer, Editora Record, 560 páginas, R$ 84,90)

E quando o circo pega fogo…quem ganha é a literatura!

Narizalda e Narizelda não se conhecem. Moram em cidades diferentes, têm personalidades distintas e não sabem da existência uma da outra. O que as aproxima é uma característica em comum: a ponta do nariz vermelhinha, motivo pelo qual receberam esses nomes. Elas são as personagens principais da obra “Narizalda e Narizelda”, escrita pela orientadora educacional carioca Lêda Maya.

Voltado ao público infanto-juvenil, o livro é narrado pelo alegre e divertido Pipoca. Com o mantra “Eu posso esperar. Eu posso esperar. Tenho todo o tempo do mundo”, ele aguarda o melhor momento para revelar a ligação especial entre as personagens. Uma história divertida, alegre e emocionante para ser lida independentemente da idade. (Narizalda e Narizelda, Lêda Maya 192 páginas, R$ 17)

Amor e independência

Sinhazinha, dama de companhia, baronesa… essas e outras denominações tradicionais do Brasil Imperial situam a narrativa de Contumélia, produção de Lilian Peixe. Além da independência do seu País, Inês luta pela liberdade do seu futuro. Em meio a situações difíceis que decidirão o rumo de sua vida, a protagonista se vê obrigada a casar com um homem pelo qual não está apaixonada.

Indecisa sobre como escapar dessa união imposta por sua madrinha, Dona Constância, a jovem é surpreendida por uma viagem repleta de aventuras enigmáticas que prometem mudar para sempre o seu destino e o de sua melhor amiga, Teresa. Contumélia é narrada em primeira pessoa a partir da perspectiva de três personagens centrais: Inês; Teresa, sua melhor amiga; e André, o misterioso rapaz. (Contumélia, Lilian Cristina Peixe, 248 páginas, e-book)

De onde vem a sombra que te persegue?

Vazio da Forma é uma homenagem literária a tudo que destruiu o senso de realidade do fotógrafo, cinematógrafo e escritor Andrew de Oliveira. Narrado em primeira pessoa, o lançamento é focado na psique do protagonista Frey, um talentoso pintor assombrado por uma entidade chamada A – que nada mais é que a depressão do protagonista representada como personagem, com consciência e capaz de tomar forma de traumas e vícios.

Ao mesmo tempo em que encara a dor do desaparecimento de sua filha, Frey imerge em memórias do passado, verdadeiros traumas nunca enfrentados e superados. A ausência de Lírio fragiliza seu casamento: entregue ao vício alcoólico, Jacinto, seu marido, também revela dores e realidades nunca antes discutidas entre o casal. (Vazio da Forma, Andrew de Oliveira, Skull Editora, 230 páginas, R$ 33,92)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!