COTAÇÃO DE 24/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3430

VENDA: R$5,3440

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3800

VENDA: R$5,5030

EURO

COMPRA: R$6,2581

VENDA: R$6,2594

OURO NY

U$1.750,87

OURO BM&F (g)

R$301,00 (g)

BOVESPA

-0,69

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião

Desafios da implementação da tecnologia 5G

COMPARTILHE

Crédito: ADMC por Pixabay

Para trabalhar em ultravelocidade, com baixa latência e uma cobertura com lacunas menores, o padrão de tecnologia de quinta geração para redes móveis e de banda larga (5G) necessita superar os obstáculos existentes de infraestrutura em áreas que exigem muito tráfego de informações, como grandes cidades e distritos comerciais. Também será necessário enfrentar os desafios regulatórios das autoridades locais, que incluem taxas excessivas, restrições e até mesmo movimentos que proíbem as instalações de estação de rádio base (ERBs) e redução do aparelho (small-cells) que permite ampliação da cobertura do sinal de dados em locais com maior demanda ou com densas coberturas.

Além disso, as redes 5G precisarão que a infraestrutura de pequenas áreas geográficas seja implementada em mais locais com o propósito de aumentar a capacidade em áreas urbanas densamente povoadas e estender a cobertura para áreas rurais. Esse processo demandaria a aprovação das autoridades locais, o que poderia levar anos até ser concretizada. Por outro lado, um decreto presidencial, no ano passado, regulamentou uma norma conhecida como o “silêncio positivo” que permite a instalação de equipamentos caso não haja manifestação por parte de órgãos ou entidades municipais e desde que o pedido esteja em conformidade com a legislação. Com base nisso, se não houver resposta breve dos municípios, entende-se que a autorização está permitida, podendo executar a ação.

PUBLICIDADE

Vale ressaltar que os aspectos regulatórios são condições fundamentais para as empresas colocarem em prática essa nova tecnologia. Entre eles, estão os seguintes: avaliação e interpretação das leis federais, estaduais e municipais e possíveis barreiras para implementação do 5G; monitoramento dos riscos relacionados ao uso de infraestrutura de terceiros; análise, modelagem e gestão das obrigações legais; monitoramento dos riscos relacionados ao licenciamento de infraestrutura e o seu uso por terceiros; e suporte jurídico obrigatório em questões relacionadas ao uso eficiente da radiofrequência.

O surgimento de novas redes irá permitir a disponibilização de pacotes de dados mais econômicos oferecendo menor custo por gigabyte, aumentando a competitividade entre as empresas. Além disso, novos planos de pacotes de dados ilimitados, ofertas de preços baseadas na velocidade e de conteúdo com aplicativos agrupados serão parte do novo portfólio das companhias de telecomunicações, contribuindo com a construção de um modelo baseado no menor e melhor custo de aquisição por usuário.

A nova tecnologia tem a promessa de revolucionar a economia e pode trazer um valor incremental de US$ 1,2 trilhão (R$ 6,5 trilhões) ao PIB brasileiro até 2035, segundo uma pesquisa realizada em maio deste ano. Entre os setores, esse aumento significativo do PIB deve ser maior nas áreas de tecnologia (US$ 241 bilhões a mais), governo (US$ 189 bi), manufatura (US$ 181 bi), serviços (US$ 152 bi), varejo (US$ 88 bi), agricultura (US$ 77 bi) e mineração (US$ 48,6 bi).

Ressaltamos que a implantação do 5G não é uma tarefa simples, uma vez que existem vários fatores relevantes que devem ser considerados. Entender a monetização do caso de uso, verificar como se dará a construção da infraestrutura e a analisar a concorrência no mercado são alguns dos fatores que devem ser avaliados. A abordagem comercial exigirá também uma lógica diferenciada, que levará em conta o conhecimento prévio da problemática e necessidades dos clientes, apoiando estes na transformação dos negócios através da utilização dessa tecnologia.

Embora a estratégia das empresas já esteja madura para implementação do 5G, a parte comercial, o fator regulatório da nova rede e os casos de negócios ainda permanecem imaturos. A realização do cálculo do custo de construção de uma tecnologia de quinta geração é complexa, mas o que realmente importa é avaliar se o valor do investimento e equipamentos necessários terão um retorno possível em um determinado período.

Apesar desses entraves, a tecnologia 5G está definida para maximizar o poder do digital em vários setores da economia. A rede será uma plataforma transformadora de todas as indústrias, gerando novos modelos de negócio e grandes experiências de imersão interativa e resultando em novas fontes de receita. A implantação, evidentemente, irá auxiliar empresas nos desafios de mercado, remodelar cadeias de valor e otimizar operações em vários segmentos como agricultura, automotivo, educação, infraestrutura, indústria, saúde e outros.

*Sócio-líder de tecnologia, mídia e telecomunicações (TMT) da KPMG | [email protected]
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!