COTAÇÃO DE 24/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8120

VENDA: R$4,8120

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8900

VENDA: R$4,9960

EURO

COMPRA: R$5,1664

VENDA: R$5,1690

OURO NY

U$1.866,41

OURO BM&F (g)

R$289,06 (g)

BOVESPA

+0,21

POUPANÇA

0,6667%

OFERECIMENTO

Política

Flexibilização do isolamento preocupa deputados

COMPARTILHE

Crédito: Manoel Evandro

O temor de um aumento de casos de Covid-19 no Estado a partir da flexibilização do isolamento social e a demanda por equipamentos de proteção individual (EPIs) para profissionais de saúde, bem como por leitos e respiradores para os pacientes, foram algumas das preocupações manifestadas pelos deputados durante o debate sobre o programa “Minas Consciente”, que trata da reabertura gradual de estabelecimentos comerciais em Minas Gerais.

Conduzido pelo presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Agostinho Patrus (PV), o encontro foi realizado ontem, no Plenário, com a participação presencial do secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, do presidente da Comissão de Saúde, deputado Carlos Pimenta (PDT), e da presidente do Comitê Permanente de Acompanhamento das Ações de Prevenção e Enfrentamento do Novo Coronavírus, da UFMG, a professora e pediatra Cristina Alvim.

PUBLICIDADE




Em seu pronunciamento, Carlos Pimenta admitiu que, a despeito do cuidado demonstrado pelo governo, a abertura do comércio causa preocupação, sobretudo em algumas regiões do Estado com alta densidade demográfica ou próximas a São Paulo e ao Rio de Janeiro, uma vez que eles apresentam os mais altos índices de contaminação pelo coronavírus.

O parlamentar também apresentou os principais questionamentos dos membros efetivos da comissão, como o aporte de recursos para hospitais da rede estadual e a necessidade de se aumentar o número de testes da doença.

O secretário reconheceu que o temor pela reabertura do comércio é um desafio. “É uma decisão difícil, que tem que ser tratada com muita transparência e rigor técnico. É preciso encontrar o equilíbrio entre os riscos econômicos e sanitários”, disse.

Segundo ele, a decisão de se reabrir gradativamente a economia do Estado partiu da necessidade de se padronizar minimamente as ações dos municípios.
Carlos Eduardo Amaral ainda garantiu que a Fundação Hospitalar do Estado (Fhemig) poderá abrir mais 300 novos leitos e afirmou que o governo já enviou aos hospitais e a prefeituras do interior mais de R$ 200 milhões.

PUBLICIDADE




O líder do Bloco Minas Tem História, deputado Sávio Souza Cruz (MDB), manifestou sua preocupação com a adoção de medidas concebidas em países com histórico social, econômico, climático e sanitário muito diferente do Brasil. O secretário respondeu que o programa adotado tem inspiração no exterior, mas que está prevista a possibilidade de adaptação ao cenário de Minas e sempre observando as recomendadas da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde (MS).

Prevenção – O líder do Bloco Sou Minas Gerais, deputado Gustavo Valadares (PSDB), indagou à médica e professora Cristina Alvim se o comitê de enfrentamento à Covid-19 da UFMG levaria adiante o programa Minas Consciente nos moldes proposto.

Ela disse que Minas tem sido bem-sucedida no combate à pandemia, mas ponderou que o ciclo da doença está apenas no início no Estado. (Com informações da ALMG)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!