Crédito: REUTERS/Ueslei Marcelino

Brasília – O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na sexta-feira (3) que os programas para combate ao coronavírus devem chegar a R$ 1 trilhão nas próximas semanas ou meses, pontuando que o déficit primário já está em 6% do Produto Interno Bruto (PIB).

“(Programas) já passaram dos R$ 800 bilhões, possivelmente chegarão a quase R$ 1 trilhão ao longo das próximas semanas ou meses, por isso é que nós precisamos não só dessa blindagem jurídica, mas dessa blindagem legislativa”, afirmou ele, em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto.

Guedes fez um apelo pela aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do orçamento de guerra e disse considerar oportunismo político qualquer crítica de que houve demora na atuação do governo federal.

“Peço que haja espírito de união em torno do lema de que nenhum brasileiro será deixado pra trás. Defesa da saúde e dos empregos está acima de quaisquer diferenças”, afirmou ele, completando que, daqui a três a quatro meses o barulho natural de uma democracia pode voltar, mas que agora é hora de não explorar politicamente os problemas.

Auxílio – O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que os trabalhadores informais elegíveis “muito provavelmente” receberão antes da Páscoa o primeiro pagamento de R$ 600 da ajuda emergencial concedida pelo governo em decorrência da pandemia de coronavírus.

Segundo Onyx, os trabalhadores elegíveis são os informais que estão dentro do Cadastro Único.

“Aqueles que são elegíveis muito provavelmente vão começar a receber os depósitos em conta ainda antes do feriado da Páscoa”, disse o ministro em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Onyx também informou que os beneficiários do Bolsa Família receberão a partir do dia 16, data estabelecida para o pagamento dos benefícios do programa.

O ministro acrescentou ainda que os trabalhadores informais que não estão no Cadastro Único ou em outros registros do governo terão a sua disposição um aplicativo de celular para fazer o cadastramento a fim de receberem o auxílio emergencial

Onyx disse que esse cadastro virtual deve ter uma base de 15 a 20 milhões de informais. (Reuters)