COTAÇÃO DE 20/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5600

VENDA: R$5,5610

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5630

VENDA: R$5,7070

EURO

COMPRA: R$6,4683

VENDA: R$6,4712

OURO NY

U$1.782,01

OURO BM&F (g)

R$318,60 (g)

BOVESPA

+0,10

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Política

Maia afirma que alternativa ao Plano Mansueto tem amplo apoio

COMPARTILHE

REUTERS/Adriano Machado

Brasília – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu ontem o projeto alternativo ao chamado Plano Mansueto como uma medida “razoável”, por prever a suspensão de dívidas de estados e municípios e compensar as perdas na arrecadação em um momento de esforço generalizado no combate à crise do coronavírus.

Segundo o presidente da Câmara, a proposta alternativa, que está sendo chamada de “Mansueto light”, conta com amplo apoio na Câmara dos Deputados. Maia argumentou que o texto acordado foi adaptado à situação de calamidade, e que votar o Plano Mansueto tal como estava seria de “alto risco”, já que mirava apenas nos estados e municípios com dificuldades.

PUBLICIDADE

“O problema é que o Plano Mansueto tinha um objetivo: organizar de forma estrutural as contas públicas dos Estados que passavam por dificuldades. Hoje, nós vivemos uma nova realidade, todos os Estados estão passando por dificuldades”, disse o deputado a jornalistas.

“Tenho certeza que o texto que está sendo votado é um texto muito razoável”, argumentou o presidente da Câmara, que cobrou o governo federal a atuar para ajudar os entes federativos diante da perspectiva de perdas de arrecadação de cerca de 30%.

O projeto alternativo, já em discussão no plenário da Casa, permite a suspensão de dívidas dos entes durante o período de calamidade. Também prevê uma compensação, por parte da União, das perdas de arrecadação do ICMS.

Adaptada à crise da pandemia do coronavírus, a proposta estabelece que estados e municípios poderão realizar aditamento contratual (firmados no exercício corrente) que suspenda os pagamentos do principal e encargos de operações de crédito interno e externo celebradas com o sistema financeiro e instituições multilaterais de crédito.

Haverá regras específicas para refinanciamento de contratos com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e para a Caixa Econômica Federal.
Também prevê que não ocorrerá execução de contragarantias de dívidas dos estados e dos municípios dos contratos de refinanciamento.

“A única trava que estamos colocando é que, óbvio, nenhum Estado pode dar aumento salarial neste ano”, afirmou Maia.

Os recursos não pagos deverão ser preferencialmente destinados a ações de combate à crise, diz o texto. Durante a suspensão do pagamento, estados e municípios não poderão ser inscritos em cadastros restritivos por conta dessa suspensão.

O projeto ainda traz linhas de financiamento para combate à pandemia e para auxiliar os entes a estabilizarem a receita.

Estados e Distrito Federal poderão contratar operações de créditos com garantia da União limitados a 8% da Receita Corrente Líquida (RCL) para o exercício de 2020.

Nos cálculos do presidente da Câmara, o impacto fiscal da medida gira em torno de R$ 35 bilhões, enquanto os empréstimos deverão bater o patamar de R$ 50 bilhões.
Maia não descartou que as discussões do Plano Mansueto original sejam retomadas depois da crise.

“O Plano Mansueto infelizmente neste momento, ele é um projeto correto, vai precisar ser enfrentado… num segundo momento, no segundo semestre”, avaliou.

“Nesse momento todos os estados vivem a mesma angústia, a necessidade de recomposição de receitas para enfrentamento à crise.” (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!