O momento atípico e de consequências ainda desconhecidas pelo qual a sociedade e a economia brasileira passam com a disseminação do novo coronavírus pode ser uma oportunidade para que as empresas reflitam sobre as estratégias de gestão.

A iniciativa #NãoDemita reúne empresas dispostas a assumir o compromisso público de preservar seu quadro de funcionários, sem demissões, durante os próximos dois meses, em meio a este período de turbulência.

Além disso, o site do projeto oferece informações que poderão ajudar pequenos empresários.

Em nota, o presidente do conselho de administração do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), Henrique Luz, afirma que acredita que todos podem contribuir para reduzir os efeitos negativos da crise e ressaltou que preservar o quadro de funcionários do IBGC também é uma prioridade.

“Nossa equipe segue trabalhando na construção de um instituto cada vez mais vocal em relação ao nosso propósito. Uma governança corporativa melhor constrói uma sociedade melhor”, diz a nota. “É hora de colocarmos a cidadania em primeiro lugar e de seguirmos norteados pelos princípios que nos unem. Transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa hão de guiar nossa sociedade para um futuro mais promissor”, completa.

Uma das empresas idealizadoras do movimento, a PwC também se comprometeu a manter o seu quadro de profissionais por pelo menos dois meses, com o objetivo de evitar ou minimizar situações econômicas ou sociais extremas e ajudar na recuperação do País.

Esse compromisso não envolve desligamentos por justa causa, mal desempenho ou desligamentos voluntários, mas apoia a manutenção do emprego e da renda das pessoas impactadas durante o estado de calamidade pública.

Nesse contexto, a PwC reitera os seus valores: agir com integridade, fazer a diferença, cuidar das pessoas, trabalhar juntos e desafiar o limite do possível – que estão em seu DNA e na maneira como se comporta. A firma também coloca à frente o propósito de construir confiança na sociedade e resolver problemas importantes.

“Mantendo nossos quadros, ajudaremos a evitar ou minimizar um possível colapso econômico e social”, afirma o manifesto criado, neste mês, por vários empresários e empreendedores. As empresas interessadas em aderir ao movimento podem se inscrever pelo site.

Entre as companhias que já assinaram o manifesto estão: Accenture, Alpagartas, Ânima Educação, Atmo Educação, BR Distribuidora, BR Partners, BRF, BTG Pactual, Banco Inter, Bradesco, CI&T, Camil, Cosan, Cyrela, Dasa, Grupo Pão de Açúcar, Itaú Unibanco, J. Macêdo, JBS, Log Commercial Properties, Lojas Renner, MRV Engenharia, Magazine Luiza, Microsoft, Natura, O Boticário, PWC, Porto Seguro, Rede D´Or, Rodobens, SEB, Salesforce, Santander, Sapore, Stefanini, Suzano, UNIPAR, Vivo, WEG e XP Investimentos.

Se você atua em empresas, avalie a possibilidade de se juntar ao grupo. Acesse o site e participe.