COTAÇÃO DE 20-01-2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4160

VENDA: R$5,4170

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4470

VENDA: R$5,5770

EURO

COMPRA: R$6,1450

VENDA: R$6,1478

OURO NY

U$1.837,83

OURO BM&F (g)

R$321,61 (g)

BOVESPA

+1,01

POUPANÇA

0,6340%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio

Contrato futuro de soja está disponível

COMPARTILHE

POR

" "
Crédito: Abiove/Divulgação

Está à disposição do agronegócio brasileiro desde ontem o Futuro de Soja Brasil, um contrato que tem como referência o preço de exportação no Porto de Santos e liquidação financeira calculada em dólares por tonelada pelo índice S&P Global Platts. O investidor que operar o produto terá mais transparência no processo de negociação e precificação, além de um preço aderente à realidade brasileira.

De acordo com informações divulgadas ontem pela B3, a bolsa de valores de São Paulo, o Futuro de Soja Brasil foi desenvolvido em parceria com a bolsa de Chicago, CME Group, e tem como foco um mecanismo de proteção mais seguro, baseado no preço da soja brasileira e negociado em duas bolsas que são líderes mundiais. Além do contrato futuro, também estão sendo listadas as opções de compra e de venda sobre o futuro de soja Brasil.

PUBLICIDADE




“Até agora, para fazer hedge (estratégia de investimento) dos grãos negociados era preciso recorrer à bolsa de Chicago. A correção entre os preços da soja brasileira e americana sempre foi grande. Porém, nos últimos anos, houve um descolamento, o que dificultou bastante a vida dos agentes da cadeia produtiva brasileira”, disse o superintendente de Commodities da B3, Louis Gourbin.

De acordo com Gourbin, o agronegócio brasileiro é uma referência mundial, o que gera a necessidade de que os produtos reflitam isso. “O novo derivativo chega para atender essa necessidade e ser uma ferramenta de gestão de risco de preço Brasil. Além disso, é de fácil acesso para os participantes nacionais, só precisa ter uma conta em uma corretora para negociar o novo contrato na B3”, explicou.

Aprovação Segundo a B3, o acordo para criação do Futuro de Soja Brasil foi firmado entre as duas bolsas em 2020. O lançamento pela B3 ocorreu depois da aprovação dos órgãos reguladores brasileiros, no final de agosto, sendo parte da cooperação técnica mantida pelos dois grupos desde 2007. Essa cooperação técnica prevê o desenvolvimento de serviços de tecnologia e contratos futuros de soja negociados nas duas bolsas, conectando os participantes globais desse mercado ao setor agrícola brasileiro.

“Essa conexão é importante, pois traz o mundo para o Brasil e o Brasil para o mundo. O mercado de soja é internacional, mas possui dinâmicas de produção e comercialização distintas por geografia, o que traz a necessidade de novos produtos regionais. A parceria B3 e CME demonstra a nossa capacidade a proporcionar novos produtos eficazes e adaptados às demandas dos nossos clientes”, afirmou Gourbin.




De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil é o maior produtor e exportador de soja do mundo, com 134 milhões de toneladas de grãos colhidas em 2021.

Plantio atinge 90% da área esperada

São Paulo – O plantio da safra de soja 2021/22 do Brasil atingiu 90,6% da área total esperada até a última sexta-feira (26), mantendo o ritmo mais acelerado ante o ano passado e a média histórica para o período, de acordo com levantamento da Safras & Mercado divulgado ontem.

Houve um avanço no plantio de 6,4 pontos percentuais na comparação com a semana anterior, segundo a consultoria. Em igual período do ano passado, o Brasil havia plantado 83,3% da área e a média histórica é de 85,7%.

No Mato Grosso, o plantio terminou, contra média de 98,4% dos últimos cinco anos. Em Mato Grosso do Sul, a semeadura também foi encerrada antecipadamente.

No Paraná, a área ocupa 99% do esperado, acima da média de 97,6%, segundo a Safras. No Rio Grande do Sul, onde os trabalhos começam mais tardiamente, o plantio atingiu 69% da área, ante 64,6% da média histórica.

Estados do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) também estão mais adiantados ante o ano passado, com percentuais variando de 85% a 75%, informou a consultoria.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!