COTAÇÃO DE 07/12/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6890

VENDA: R$5,6900

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,7130

VENDA: R$5,6900

EURO

COMPRA: R$6,4094

VENDA: R$6,4123

OURO NY

U$1.779,64

OURO BM&F (g)

R$325,16 (g)

BOVESPA

+1,70

POUPANÇA

0,4572%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio

Inscrição para regulação fundiária termina dia 29

COMPARTILHE

agricultura familiar
Crédito: Divulgação

As inscrições para o Programa Estadual de Regularização Fundiária de Posseiros de Terra Devoluta Rural terminam dia 29 de novembro. O termo que estabelece o novo prazo para que gestores municipais participem do chamamento público está disponível no site da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Os municípios selecionados serão contemplados com a emissão dos títulos de propriedade rural a partir de 2022.

As inscrições devem ser realizadas pelos executivos municipais, pois o Acordo de Cooperação Técnica é firmado entre as prefeituras e o Estado. Os critérios para a seleção, as regras e os documentos necessários no ato da inscrição estão descritos no edital.

PUBLICIDADE

De acordo com o superintendente de Regularização Fundiária da Seapa, Pedro José Campos Garcia, o lançamento de editais para a política pública é uma inovação da atual gestão do Estado, com o objetivo de dar transparência, credibilidade e prestar contas sobre o processo.

 “O resultado de cada chamamento é válido por dois anos e o último teve sua validade até outubro de 2021, por isso, foi aberto o novo edital, cujas inscrições se encerrariam no dia 8 deste mês, mas para possibilitar o acesso de mais municípios ao programa, a secretária de Agricultura, Ana Valentini, decidiu por prorrogar o prazo de inscrições por mais 20 dias para que nenhum dos interessados ficasse de fora”, relata o superintendente.

Demanda histórica A iniciativa atende a uma demanda histórica da sociedade. A regularização fundiária promove a cidadania no campo, a melhoria da qualidade de vida de agricultores familiares e a garantia do direito à terra.

“Trata-se de um importante instrumento para a resolução de conflitos sociais, na medida em que a entrega dos títulos possibilita o acesso dos produtores a políticas públicas, como crédito rural e investimentos na propriedade. Na prática, cria-se oportunidades para o crescimento da produção e a geração de trabalho e renda”, diz a Seapa em nota.

A previsão é de que, entre 2019 e 2021, o Governo de Minas entregue 3,3 mil títulos por todo o território mineiro. Nesse período, o investimento estadual na política pública foi de aproximadamente R$ 8 milhões – valor aplicado em serviços de georreferenciamento, realização de audiências públicas e custeio operacional do cadastro de agricultores. Durante os quatro anos da gestão, serão emitidos, no mínimo, 4,7 mil títulos.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!