COTAÇÃO DE 26/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,7610

VENDA: R$4,7610

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8500

VENDA: R$4,9530

EURO

COMPRA: R$5,1433

VENDA: R$5,1459

OURO NY

U$1.850,86

OURO BM&F (g)

R$284,80 (g)

BOVESPA

+1,18

POUPANÇA

0,6719%

OFERECIMENTO

Agronegócio

Moagem de cana-de-açúcar no Centro-Sul cai mais de 30% em abril

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

São Paulo – As usinas da região Centro-Sul do Brasil começaram a moagem de cana mais tarde na safra 2021/22, marcando uma queda de mais de 30% na primeira quinzena de abril ante o mesmo período da temporada passada, à medida que o longo período de seca no ano anterior afetou o desenvolvimento do canavial, informou, nesta terça-feira, a associação Unica.

A produção de açúcar do Centro-Sul no período recuou 35,75% na quinzena do mês, para 624 mil toneladas, enquanto a fabricação de etanol diminuiu 25,9%, para 731 milhões de litros, segundo os dados da União da Indústria da Cana-de-açúcar.

PUBLICIDADE




A moagem atingiu 15,6 milhões de toneladas, versus 22,5 milhões na mesma etapa de 2021.

“Essa queda se deve ao menor número de unidades produtoras em operação neste início de safra. Nos primeiros 15 dias de abril, 147 unidades estavam operando, sendo 141 processadoras de cana-de-açúcar, cinco exclusivas de etanol de milho e uma usina flex“, disse a Unica.

Na mesma data da safra 2020/2021, 180 unidades estavam em operação.

Para a segunda quinzena de abril, outras 60 unidades devem iniciar a moagem no Centro-Sul.

Piora em qualidade

PUBLICIDADE




Além da redução na moagem, o início da safra 2021/2022 registrou uma piora na qualidade da matéria-prima.

O nível de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) na primeira quinzena de abril atingiu 108,73 kg de ATR/tonelada de cana, recuo de 3,62%.

“O clima mais seco tem favorecido a colheita, mas o menor número de unidades produtoras em operação não permitiu uma moagem no mesmo ritmo observado no início da safra passada”, ressaltou o diretor-técnico da Unica, Antônio Padua Rodrigues, em nota.

“O longo período de chuvas abaixo da média histórica tem prejudicado o desenvolvimento na lavoura e criou estímulos para que as usinas começassem a safra mais tarde neste ano. Muitas empresas haviam programado o início em março deste ano, mas observamos um atraso médio em torno de dez dias nessa programação”, adicionou.

A produção de etanol de milho somou 111,43 milhões de litros, ante 86,30 milhões de litros no mesmo período do ciclo 2020/2021.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!