DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,1220

VENDA: R$5,1230

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1430

VENDA: R$5,2800

EURO

COMPRA: R$6,1922

VENDA: R$6,1950

OURO NY

U$1.876,87

OURO BM&F (g)

R$309,26 (g)

BOVESPA

+0,13

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio

VBP do agronegócio pode cair 0,55% em MG

COMPARTILHE

O VBP da pecuária tem estimativa de alta de 1,18% | Crédito: Divulgação

A valorização dos preços e a maior produção de soja e de milho estão contribuindo para reduzir o impacto negativo da queda produtiva do café e do recuo dos preços do leite no Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de Minas Gerais. A previsão para este ano, com base nos dados até abril, é de um VBP estadual de R$ 105,4 bilhões, valor que está 0,55% menor quando comparado com 2020, quando o faturamento chegou a R$ 106,05 bilhões.

Enquanto os faturamentos da soja e do milho estão subindo 29,9% e 31,59%, respectivamente, o café vem apresentando queda de 31,42% e o leite de 5,11%.

PUBLICIDADE

Segundo os dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), dos R$ 105,46 bilhões estimados para o VBP de Minas em 2021, R$ 66,38 bilhões serão provenientes da atividade agrícola e R$ 39,08 bilhões da pecuária. Na agricultura, a expectativa é de um VBP 1,54% menor e na pecuária é estimada alta de 1,18% frente a 2020.

Dentre os produtos, a maior queda é vista na produção de café. O faturamento dentro da porteira foi estimado em R$ 15,9 bilhões e está 31,42% menor que o registrado anteriormente, que era de R$ 23,2 bilhões. A forte retração é resultado de uma safra menor. O café, até o ano passado, tinha o maior VBP do Estado, perdendo o lugar, em 2021, para a soja.

Falta de chuvas 

Além da bienalidade negativa, a cultura do café vem sofrendo forte impacto negativo da falta de chuvas. Conforme os últimos dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a safra em Minas Gerais ficará de 36,1% a 42,8% menor em relação ao ciclo anterior, com a produção variando entre 19,8 milhões de sacas de 60 quilos e 22,1 milhões de sacas de café beneficiado.

Do valor total estimado para o café, a espécie arábica apresentou redução de 31,54% no VBP, que foi estimado em R$ 15,78 bilhões. No café conilon, o VBP projetado para 2021 é de R$ 131,6 milhões, valor 13% inferior.

A queda no VBP total de Minas foi minimizada pelo bom desempenho da soja, que passou a ter o maior VBP do Estado. Com preços altos e demanda elevada nos mercados interno e externo, a produção foi ampliada em Minas Gerais. Com isso, é esperado aumento de 29,93% no VBP da oleaginosa, que pode alcançar R$ 19,5 bilhões.

Para a produção de soja, em Minas, é esperada expansão de 13,8% no volume, que pode chegar ao recorde de 7 milhões de toneladas.

Assim como na soja, a produção maior e os preços valorizados impulsionaram os resultados do milho. A projeção é de um VBP para a cultura do cereal 31,59% maior, alcançando R$ 11,1 bilhões. Para a safra 2020/21, no Estado, a previsão é colher um volume total de 8,6 milhões de toneladas de milho, variação positiva de 15,5%.

Já no caso da cana-de-açúcar, é esperada queda de 1,83% no valor bruto, com faturamento em torno de R$ 8,9 bilhões.

O faturamento da produção de feijão foi estimado em R$ 2,74 bilhões, variação negativa de 5,5%. Para a laranja, o VBP de 2021, ficou estimado em R$ 627 milhões, queda de 8,68%.

Retração também é esperada para o VBP do algodão, de 2,39%, com o faturamento estimado em R$ 546,5 milhões. A redução se deve à previsão de uma safra 20,8% menor, com o volume chegando a 127,6 mil toneladas de algodão em caroço.

Bovinos lideram pecuária mineira

Ao contrário da agricultura, para a pecuária mineira é esperado aumento de 1,18% no Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), que pode chegar a R$ 39 bilhões. O incremento vem, principalmente, da produção de bovinos.

Segundo os dados do Mapa, para a produção de bovinos, a estimativa é de uma alta de 10,4% no VBP, com o faturamento da atividade estimado, com base nos dados de abril, em R$ 13,7 bilhões. A demanda elevada, a oferta ajustada e os preços firmes são fatores que justificam o incremento.

Em relação à produção de frangos, é esperado um faturamento 2,23% superior, chegando a R$ 6,9 bilhões.

Já para o leite, a previsão é de um VBP de R$ 13,5 bilhões, retração de 5,11% quando comparada com os R$ 14,2 bilhões registrados em 2020. A desvalorização dos preços contribui para o resultado negativo. 

Em suínos e ovos, a tendência também é de queda. No caso dos suínos, o VBP deve alcançar R$ 3,39 bilhões, recuo de 4,98%. Em ovos, a redução estimada é de 5,39%, com faturamento de R$ 1,5 bilhão.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!