COTAÇÃO DE 16 A 18/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4540

VENDA: R$5,4540

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4700

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,3181

VENDA: R$6,3210

OURO NY

U$1.767,23

OURO BM&F (g)

R$309,68 (g)

BOVESPA

+1,29

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Coronavírus

Força-Tarefa busca minimizar impactos do Covid-19 em vilas, favelas e aglomerados

COMPARTILHE

Crédito: Reprodução

Promover a vida onde ela está mais ameaçada pela pandemia. Esse é o propósito da rede Periferia Viva – Força-Tarefa Covid-19, iniciativa realizada pela Associação Imagem Comunitária, que conta com uma aliança estratégica com o Fórum das Juventudes da Grande BH, a Laço Associação de Apoio Social e o grupo de pesquisa Mobiliza – UFMG.

Com um amplo leque de ações de articulação de sujeitos, grupos e instituições, a plataforma online de suporte a tais ações traz uma robusta estratégia de
comunicação para o enfrentamento do problema.

PUBLICIDADE

Diversos fatores fazem com que as periferias sejam territórios de alto risco à saúde individual e coletiva: pobreza, precariedade das condições de moradia, alimentação e saneamento, baixo acesso a oportunidades educativas e a informações de qualidade relacionadas à saúde preventiva, deficiências dos equipamentos e serviços de saúde pública, dentre outros. Além disso, são áreas de alta densidade populacional, em que a maior parte das moradias aglomera muitas pessoas no mesmo espaço.

Todos esses fatores de risco fazem com que as populações periféricas sejam as mais vulneráveis à contaminação e a complicações da Covid-19 – inclusive à letalidade. Em consequência dos impactos da pandemia na economia, essas populações também sofrerão de forma muito aguda problemas como o agravamento das situações de pobreza e de extrema pobreza e a falta de segurança alimentar.

É nesse contexto, grave e extremamente desafiador, que a iniciativa incide. Com atuação prioritária na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a força-tarefa foi criada para dar visibilidade e articular apoios e parcerias aos esforços já em curso de mobilização social e vigilância civil para o enfrentamento à pandemia do coronavírus na perspectiva da defesa do direito à vida, à dignidade e à cidadania das populações periféricas.

A ideia é conectar as iniciativas, campanhas e demandas da sociedade civil organizada a quem pode contribuir e fortalecer essa rede de solidariedade, considerando as áreas de segurança alimentar e proteção; saúde mental; informação e mobilização; e geração de renda.

Semanalmente, uma equipe da AIC e voluntários faz contato com as iniciativas e entidades que atuam nas vilas e favelas para coletar demandas, necessidades e boas práticas.

As boas práticas inspiram outras iniciativas e as demandas e necessidades são encaminhadas a uma rede de apoio que pode atuar na solução: profissionais de saúde mental que podem prestar atendimento à distância, parceiros que podem fazer a doações, advogados populares que podem atuar no esclarecimento e orientação do acesso a direito, uma equipe de comunicação que pode produzir materiais informativos, segundo a demanda de cada localidade.

Entre as ferramentas da referida tecnologia social, a plataforma online reúne e disponibiliza, de forma aberta, ampla e gratuita, todas as informações levantadas nas ações de articulação social. Além disso, fortalece essas ações de articulação, ao dar visibilidade às iniciativas de enfrentamento ao coronavírus nos territórios periféricos e ao possibilitar o cadastro online tanto das iniciativas em curso e das demandas das mesmas, quanto das ofertas de apoio e as oportunidades de ação colaborativa.

Na plataforma, a sociedade localiza no mapa da grande BH as iniciativas que estão em curso junto à população vulnerável e pode ter informações sobre como apoiar. E não são só doações que fazem a diferença. Comprar máscaras de proteção e outros produtos de pequenos empreendimentos solidários das periferias é uma forma importante de exercer cidadania e apoiar as populações em situação de risco social.

Se você está em vilas, favelas e regiões vulneráveis e precisa de ajuda ou pode inspirar outras iniciativas, faça sua inscrição na plataforma. Se você quer fazer doações ou consumir produtos da economia solidária, escolha a iniciativa colabore. Se você quer somar esforços no encaminhamento de soluções, faça contato.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!