COTAÇÃO DE 26/11/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5950

VENDA: R$5,5960

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6300

VENDA: R$5,7570

EURO

COMPRA: R$6,3210

VENDA: R$6,3222

OURO NY

U$1.792,60

OURO BM&F (g)

R$322,88 (g)

BOVESPA

-3,39

POUPANÇA

0,4620%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Direto da Redação

Fraternidade sem Fronteiras lança novo projeto na República Democrática do Congo

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação

A Fraternidade sem Fronteiras (FSF) lançou nesta segunda-feira (15), dia em que comemora 12 anos de fundação, o mais novo projeto da organização, o Órfãos do Congo. O projeto está na República Democrática do Congo, o quinto país de atuação da FSF na África, para o acolhimento de crianças órfãs em situação de rua e de extrema vulnerabilidade. O lançamento foi feito durante um evento online conduzido pelo fundador-presidente da FSF, Wagner Moura Gomes.

“A nossa festa é trabalho! A Fraternidade sem Fronteiras tem duas frentes de trabalho. A primeira é criar uma grande corrente com pessoas do bem e que possam, em nome do amor e da união, se abraçar e se reconhecerem como irmãos. E a outra frente é olhar para as situações mais desafiadoras do mundo, para as maiores dificuldades e agir. Por isso, chegamos hoje para dar mais um passo na nossa missão”, explica Wagner.

PUBLICIDADE

Neste primeiro momento, o projeto Órfãos do Congo vai apoiar o trabalho de pequenos orfanatos já existentes nas regiões de Bukavu e Goma para conseguir ampliar o número de acolhimento das crianças com a oferta de moradia, alimentação, educação, lazer e segurança.

A República Democrática do Congo está localizada na África Central, tem o francês como idioma oficial, são aproximadamente 86 milhões de habitantes, sendo que um terço da população vive na extrema pobreza e uma em cada três pessoas vive em uma insegurança alimentar severa. O país é marcado por conflitos armados e crianças abandonadas nas ruas sem os pais, muitos deles mortos pela violência.

“A situação é muito difícil. A guerra tem impacto direto na vida destas crianças. Nós vemos crianças de todas as idades, inclusive bebês, pelas ruas, abandonadas. Eles estão sem comida, sem amparo, vivendo sem futuro”, descreve Maick Mutey, líder Ubuntu e um dos colaboradores da FSF in loco no Congo.

A República Democrática do Congo será o quinto país no continente africano em que a FSF passa a desenvolver projetos de ajuda humanitária, além das ações no Brasil. Atualmente, são 21 mil crianças e jovens em situação de vulnerabilidade acolhidos e mantidos com a união de mais de 16 mil padrinhos e voluntários da causa humanitária.

A instituição mantém centros de acolhimentos e transforma vidas oferecendo alimentação, formação profissionalizante, educação e construção de casas. Assim como nos demais, Órfãos do Congo será mantido por doações únicas e, principalmente, pelo apadrinhamento que garante a continuidade e a sustentabilidade de todos os projetos FSF.

“Todos podem ajudar de alguma maneira. Seja pela contribuição de recursos, seja pela divulgação dos trabalhos da FSF ou como voluntário. O primeiro passo é saber e entender que existe uma realidade que precisa da nossa ação, do nosso movimento de amor, para ser transformada”, conclui o fundador-presidente.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!