COTAÇÃO DE 24/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8120

VENDA: R$4,8120

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8900

VENDA: R$4,9960

EURO

COMPRA: R$5,1664

VENDA: R$5,1690

OURO NY

U$1.866,41

OURO BM&F (g)

R$289,06 (g)

BOVESPA

+0,21

POUPANÇA

0,6667%

OFERECIMENTO

Economia Economia-destaque

Aneel aprova reajuste médio de quase 5% para tarifas da Energia Sul Sudeste

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Nacho Doce

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou em reunião nesta terça-feira reajuste tarifário anual da distribuidora de eletricidade Energisa Sul Sudeste, da Energisa, que levará a um aumento médio de 4,87% na conta de luz dos consumidores da empresa.

O cálculo das novas tarifas, que entram em vigor em 12 de julho, já leva em consideração uma operação estruturada pelo governo para apoiar o caixa de distribuidoras de energia com empréstimos devido aos impactos do coronavírus sobre o mercado, a chamada “Conta-Covid”.

PUBLICIDADE




O governo e a Aneel defendem que esses financiamentos, que somarão até R$ 14,8 bilhões, também ajudam a aliviar aumentos tarifários previstos para este ano, reduzindo impactos sobre os consumidores em momento em que muitos brasileiros têm sofrido perda de renda devido à pandemia.

A Aneel disse que o aumento nas tarifas da Energisa foi influenciado por custos de aquisição de energia e transmissão, mas ressaltou que o reajuste poderia ter sido maior sem os empréstimos às distribuidoras, que terão os custos repassados às tarifas num período de cinco anos.

“Cabe destacar ainda o efeito da Conta-Covid no amortecimento do reajuste. Sem a conta, o aumento seria de 10,47%, em média”, disse a agência em nota.

A Energisa Sul Sudeste atende 797 mil unidades consumidoras em 85 cidades de São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

PUBLICIDADE




Os empréstimos às distribuidoras de energia serão tomados por meio da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), um órgão setorial, de forma a não impactar o balanço das empresas.

Em nota nesta terça-feira, a CCEE disse que aguarda a assinatura dos contratos para a operação e acrescentou ter expectativa de “iniciar repasses às distribuidoras até o final de julho”.

O governo e a Aneel haviam autorizado as elétricas a captarem até cerca de R$ 16 bilhões junto à Conta-Covid. Ao final, as empresas que decidiram participar da transação tomarão um total de R$ 14,8 bilhões. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!