COTAÇÃO DE 26/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5720

VENDA: R$5,5730

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5900

VENDA: R$5,7230

EURO

COMPRA: R$6,4654

VENDA: R$6,4683

OURO NY

U$1.793,01

OURO BM&F (g)

R$321,20 (g)

BOVESPA

-2,11

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque

Aneel aprova reajuste médio de quase 5% para tarifas da Energia Sul Sudeste

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Nacho Doce

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou em reunião nesta terça-feira reajuste tarifário anual da distribuidora de eletricidade Energisa Sul Sudeste, da Energisa, que levará a um aumento médio de 4,87% na conta de luz dos consumidores da empresa.

O cálculo das novas tarifas, que entram em vigor em 12 de julho, já leva em consideração uma operação estruturada pelo governo para apoiar o caixa de distribuidoras de energia com empréstimos devido aos impactos do coronavírus sobre o mercado, a chamada “Conta-Covid”.

PUBLICIDADE

O governo e a Aneel defendem que esses financiamentos, que somarão até R$ 14,8 bilhões, também ajudam a aliviar aumentos tarifários previstos para este ano, reduzindo impactos sobre os consumidores em momento em que muitos brasileiros têm sofrido perda de renda devido à pandemia.

A Aneel disse que o aumento nas tarifas da Energisa foi influenciado por custos de aquisição de energia e transmissão, mas ressaltou que o reajuste poderia ter sido maior sem os empréstimos às distribuidoras, que terão os custos repassados às tarifas num período de cinco anos.

“Cabe destacar ainda o efeito da Conta-Covid no amortecimento do reajuste. Sem a conta, o aumento seria de 10,47%, em média”, disse a agência em nota.

A Energisa Sul Sudeste atende 797 mil unidades consumidoras em 85 cidades de São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Os empréstimos às distribuidoras de energia serão tomados por meio da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), um órgão setorial, de forma a não impactar o balanço das empresas.

Em nota nesta terça-feira, a CCEE disse que aguarda a assinatura dos contratos para a operação e acrescentou ter expectativa de “iniciar repasses às distribuidoras até o final de julho”.

O governo e a Aneel haviam autorizado as elétricas a captarem até cerca de R$ 16 bilhões junto à Conta-Covid. Ao final, as empresas que decidiram participar da transação tomarão um total de R$ 14,8 bilhões. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!