Taxas cobradas pelo banco começam em 3,45% mais IPCA - Crédito: REUTERS/Paulo Whitaker

São Paulo – O Banco do Brasil anunciou ontem que passou a oferecer sua nova linha de crédito imobiliário indexada à inflação. O produto, porém, é destinado apenas a clientes dos segmentos Private e Estilo do banco.

Só podem ser clientes Private aqueles com investimentos acima de R$ 3 milhões, enquanto as contas do Estilo, por sua vez, são disponíveis para correntistas com renda mínima acima de R$ 10 mil ou com investimentos acima de R$ 150 mil.

A concessão do crédito vale apenas para imóveis residenciais de até R$ 1,5 milhão dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) ou acima de R$ 1,5 milhão na Carteira Hipotecária (CH), sendo 70% o percentual máximo de financiamento.

As taxas de juros começam em 3,45% ao ano mais o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e variam conforme o prazo da operação e o nível de relacionamento do cliente com o banco.

É possível fazer o financiamento em até 180 meses (15 anos) e utilizar o FGTS para quitar parte do empréstimo apenas nos empréstimos.

O lançamento do Banco do Brasil segue o movimento feito pela Caixa Econômica Federal em agosto, quando estreou sua própria linha de crédito atualizada pela inflação.

Na Caixa, a taxa mínima do empréstimo é de 2,95% ao ano mais IPCA. O banco também estipulou uma taxa máxima, de 4,95% ao ano mais IPCA, e um prazo máximo de 30 anos. Além disso, o financiamento estipulado pela Caixa é de até 80% do valor do imóvel.

Em nota, o Banco do Brasil afirmou que, seguindo sua política de educação financeira, clientes que optarem pela modalidade serão alertados para o fato de que o valor das parcelas e do saldo devedor variam de acordo com a inflação.

Ainda segundo o BB, neste primeiro momento, a simulação e a análise de crédito estão disponíveis apenas nas agências. Somente após a aprovação do crédito será possível dar segmento às propostas via aplicativo ou internet banking. (Folhapress).