COTAÇÃO DE 03-12-2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6790

VENDA: R$5,6800

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,7000

VENDA: R$5,8300

EURO

COMPRA: R$6,3643

VENDA: R$6,3655

OURO NY

U$1.784,10

OURO BM&F (g)

R$321,33 (g)

BOVESPA

+0,58

POUPANÇA

0,4739%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque

Confiança do consumidor no Brasil mostra recuperação pelo 3° mês consecutivo

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Paulo Whitaker/File Photo

São Paulo – A confiança do consumidor no Brasil registrou um terceiro mês consecutivo de alta em julho, aproximando-se de níveis pré-pandemia em meio à melhora das expectativas econômicas, informou nesta sexta-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) registrou alta de 7,7 pontos em julho, para 78,8 pontos. Agora, o índice está 9 pontos abaixo de sua leitura de fevereiro, quando o coronavírus ainda não havia afetado a economia brasileira.

PUBLICIDADE

“A confiança dos consumidores manteve em julho a tendência de recuperação, motivada principalmente pela melhora das expectativas em relação à economia”, disse em nota Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das sondagens da FGV Ibre.

“Mas, apesar de acreditar numa recuperação da economia no segundo semestre, o consumidor continua insatisfeito com a situação presente e ainda não enxerga a melhora de suas finanças pessoais no horizonte de seis meses”, completou, citando temores sobre desemprego e perda de renda entre os consumidores.

Em julho, o Índice de Expectativas (IE), que mede a percepção do consumidor sobre os próximos meses, teve alta de 12,3 pontos, a 85,1 pontos, acumulando ganho de 30,1 pontos nos três últimos meses e revertendo dois terços das perdas registradas no primeiro quadrimestre de 2020.

Já o Índice de Situação Atual (ISA) teve variação positiva de 0,4 ponto, a 71,0 pontos, seu maior valor desde março.

O indicador que mede a satisfação presente dos consumidores com a economia avançou 0,7 ponto, a 73,9 pontos, enquanto o indicador que mede a satisfação com a situação financeira familiar subiu 0,2 ponto, para 68,7 pontos, ambos ainda próximos a suas mínimas históricas.

A melhora da confiança do consumidor acontece em meio à flexibilização de várias medidas de combate ao coronavírus em importantes centros econômicos do Brasil. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!