COTAÇÃO DE 21-01-2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4550

VENDA: R$5,4550

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4870

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,1717

VENDA: R$6,1729

OURO NY

U$1.829,52

OURO BM&F (g)

R$320,53 (g)

BOVESPA

-0,15

POUPANÇA

0,6107%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque

Confiança do consumidor no Brasil mostra recuperação pelo 3° mês consecutivo

COMPARTILHE

" "
Crédito: REUTERS/Paulo Whitaker/File Photo

São Paulo – A confiança do consumidor no Brasil registrou um terceiro mês consecutivo de alta em julho, aproximando-se de níveis pré-pandemia em meio à melhora das expectativas econômicas, informou nesta sexta-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) registrou alta de 7,7 pontos em julho, para 78,8 pontos. Agora, o índice está 9 pontos abaixo de sua leitura de fevereiro, quando o coronavírus ainda não havia afetado a economia brasileira.

PUBLICIDADE




“A confiança dos consumidores manteve em julho a tendência de recuperação, motivada principalmente pela melhora das expectativas em relação à economia”, disse em nota Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das sondagens da FGV Ibre.

“Mas, apesar de acreditar numa recuperação da economia no segundo semestre, o consumidor continua insatisfeito com a situação presente e ainda não enxerga a melhora de suas finanças pessoais no horizonte de seis meses”, completou, citando temores sobre desemprego e perda de renda entre os consumidores.

Em julho, o Índice de Expectativas (IE), que mede a percepção do consumidor sobre os próximos meses, teve alta de 12,3 pontos, a 85,1 pontos, acumulando ganho de 30,1 pontos nos três últimos meses e revertendo dois terços das perdas registradas no primeiro quadrimestre de 2020.

Já o Índice de Situação Atual (ISA) teve variação positiva de 0,4 ponto, a 71,0 pontos, seu maior valor desde março.




O indicador que mede a satisfação presente dos consumidores com a economia avançou 0,7 ponto, a 73,9 pontos, enquanto o indicador que mede a satisfação com a situação financeira familiar subiu 0,2 ponto, para 68,7 pontos, ambos ainda próximos a suas mínimas históricas.

A melhora da confiança do consumidor acontece em meio à flexibilização de várias medidas de combate ao coronavírus em importantes centros econômicos do Brasil. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!