COTAÇÃO DO DIA 22/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4780

VENDA: R$5,4790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5070

VENDA: R$5,6470

EURO

COMPRA: R$6,6088

VENDA: R$6,6101

OURO NY

U$1.853,68Pg�

OURO BM&F (g)

R$ (g)

BOVESPA

-0,80

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia
Página Inicial » Economia » Dimensão da tragédia em MG é avaliada

Dimensão da tragédia em MG é avaliada

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
O Ministério Público Federal montou uma força-tarefa para acompanhar o acidente - REUTERS/Washington Alves

O Ministério Público Federal em Minas (MPF), o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Defensoria Pública do Estado se mobilizaram, na tarde de sexta-feira (25), na tentativa de verificar a dimensão do desastre causado pelo rompimento de barragem de mineração da Vale, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), traçar estratégias e tomar providências. Esses órgãos encaminharam equipes paro o município. Em nota, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse que o fato requer providências firmes das instituições. Ela entrou em contato, por telefone, com representantes do MPMG e MPF em Minas.

Antes mesmo de saber a real dimensão do desastre, que causou mortes e deixou pessoas desaparecidas, o Ministério Público Federal encaminhou representante ao local. O procurador regional dos Direitos do Cidadão, Helder Magno da Silva, foi até Brumadinho para verificar a situação dos atingidos. No site do órgão foi divulgada nota informando que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, acompanha os desdobramentos do rompimento da barragem.

“É mais uma tragédia humana e ambiental que atinge o Estado e que reforça a preocupação com problemas crônicos e graves em nosso País”, afirmou a procuradora-geral, Raquel Dodge. Ela também conversou com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, que veio a Minas. No caso do rompimento da barragem da Samarco (controlada pela Vale e BHP Billiton), em Mariana, na região Central de Minas, o Ministério Público Federal montou uma força-tarefa para acompanhar o caso.

Por meio de nota em seu site, o Ministério Público de Minas Gerais informou que o procurador-geral de Justiça, Antônio Sérgio Tonet, determinou que uma equipe do Núcleo de Combate aos Crimes Ambientais (Nucrim) verifique e avalie, em conjunto com outras autoridades da área ambiental do Estado, a extensão dos danos causados pelo rompimento de barragem de mineração. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, a promotora Andressa Lanchotti, coordenadora ambiental, e uma equipe do Nucrim seguiram para o local ainda na sexta-feira.

Leia também:

Ameaça de rompimento foi alvo de denúncias

Barragem era classificada como de baixo risco

Acidente poderia ser evitado, diz Bolsonaro

Plantão – A Defensoria Pública Geral de Minas divulgou em suas redes sociais que iria manter plantão em Brumadinho durante o fim de semana, para primeiro atendimento jurídico aos atingidos, e também disponibilizou um número de celular (31 99619 9757) para apoio.

Por volta das 16h de sexta-feira, a defensora pública Raquel Gomes de Souza, chefe de gabinete da Defensoria Pública de Minas, informou que as ligações para o celular eram constantes, com várias pessoas buscando informações sobre situação das estradas e abastecimento de água. Muitos dos questionamentos ainda estavam sem respostas. Já havia também ligações de pessoas se oferecendo para trabalhar voluntariamente prestando ajuda humanitária às vítimas.

Ela confirmou que a defensoria já havia encaminhado uma equipe para o local, para um primeiro acolhimento aos atingidos. Os defensores devem manter o atendimento na cidade não só no fim de semana, mas também nos dias seguintes.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente