Crédito: Pedro Vilela / Agencia i7

Com um crescimento de 10% em 2019 na comparação com 2018 e completando 28 anos de atuação na capital mineira e na região metropolitana, o Grupo EPO está otimista com o futuro.

Segundo o presidente da empresa, Gilmar Dias, o contexto econômico que está sendo vivido, com taxas de juros baixas e inflação controlada, mostra parecer um cenário de boas oportunidades para o setor da construção civil. O grupo lançou dois empreendimentos e espera lançar mais cinco ainda neste ano, com valor geral de vendas (VGV) de cerca de R$ 420 milhões.

A consolidação da marca, segundo Dias, tem a ver com a forma de atuação da empresa ao longo do tempo em que vem construindo a sua trajetória. A organização, diz, vem corrigindo as rotas e procura sempre encontrar o melhor caminho.

Dessa forma, uma das estratégias do grupo hoje é investir em localizações diferenciadas e em pontos especiais. “Estamos posicionando os negócios e projetos em localizações bem estudadas, de forma a posicionar bem os negócios e entregar para as pessoas aquilo que elas estão buscando em termos de soluções, comodidade, conveniência e serviços no entorno. Essa é uma linha que a gente vai trabalhar com muita força daqui para a frente”, destaca ele.

Com 1,5 milhão de metros quadrados construídos e mais de 400 obras entregues, o Grupo EPO tem atualmente no Vale do Sereno, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), um dos seus focos principais. Aproximadamente 70% do VGV da empresa em 2020 está concentrado na região.

Por lá, neste ano, serão lançados os residenciais Brisa e Luar, com VGV, respectivamente, de R$ 94 milhões e R$ 116 milhões.

Já em 2022, deverá ser feita a entrega total do já lançado empreendimento comercial Prisma Serena. São cerca de 19 mil metros de área construída e 12 pavimentos, com espaços multifuncionais entre lojas e salas. Uma unidade dos Supermercados BH vai ocupar integralmente o sexto pavimento e é a primeira grande loja confirmada no local.

Segmento – Além dos números que o Grupo EPO tem alcançado ao longo do tempo, Dias chama a atenção para mais uma questão: a importância da construção civil e como ela pode contribuir para o avanço econômico do País.

“O setor imobiliário alavanca a economia enquanto gerador de emprego e renda. Diante do desemprego atual nos setores de comércio e serviço, a construção civil, com outros setores como agronegócio e parte da indústria, é uma das âncoras para gerar de novo um ambiente de emprego e renda e fazer toda a cadeia funcionar”, avalia.

O presidente do Grupo EPO lembra que, por ser considerado um serviço essencial em Minas Gerais, o segmento não parou em meio à pandemia do Covid-19.  “O fato de ser considerado serviço essencial e de as operações não terem parado manteve os negócios vivos e caminhando”, diz ele. “O setor manteve-se pulsante e vem em uma rampa de crescimento novamente”, ressalta.

Abertura de capital – Já quando questionado sobre uma possível abertura de capital do Grupo EPO, Dias destaca que, por enquanto, isso não está nos planos. “É uma boa janela, um bom caminho para aquelas empresas que querem dar um salto de crescimento nessa linha. A gente ainda não colocou isso como um ponto principal a ser atingido ainda. O futuro dirá”, afirma.