COTAÇÃO DO DIA 22/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4780

VENDA: R$5,4790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5070

VENDA: R$5,6470

EURO

COMPRA: R$6,6088

VENDA: R$6,6101

OURO NY

U$1.853,68Pg�

OURO BM&F (g)

R$ (g)

BOVESPA

-0,80

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia
Página Inicial » Economia » Faturamento da indústria mineira sofre queda de 3,7%

Faturamento da indústria mineira sofre queda de 3,7%

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Indústria extrativa mineira registrou retração de 46,9% nos resultados nos primeiros seis meses do ano - Crédito: Leandro MPerez

A indústria mineira fechou o primeiro semestre do ano com perdas de 3,7% no faturamento, em relação a igual período de 2018, mostrando dificuldade de reação. Conforme aponta o levantamento Indicadores Industriais de Minas Gerais (Index), divulgado ontem pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), a paralisação parcial da indústria extrativa foi a principal causa da retração, com o segmento mostrando queda de 46,9% nos resultados nessa base comparativa. Já a indústria de transformação registrou alta de 0,8%.

“A indústria vem mostrando resultados ruins, refletindo a apatia da economia. Também contribuiu para o resultado a paralisação no segmento extrativo mineral”, disse a analista de estudos econômicos da Fiemg, Júlia Silper.

A tragédia da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em janeiro, levou à paralisação parcial da atividade no Estado, o que vem impactando negativamente nos resultados da indústria.

Conforme a analista, a expectativa é de que os resultados do segundo semestre sejam melhores, devido a medidas que podem impulsionar o consumo, como liberação do saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e redução de juros.

Ela informa ainda que o avanço da aprovação da reforma da Previdência e as discussões sobre a reforma tributária influenciam positivamente na confiança do empresariado, mas os resultados concretos desse impacto ainda não apareceram.

Levando-se em conta os resultados da indústria geral no primeiro semestre deste ano em relação a igual período de 2018, apenas o emprego mostrou resultado positivo, com ligeiro incremento de 0,2%. Mostraram retração, além do faturamento, horas trabalhadas na produção (-3,15%), massa salarial (-1,7%) e rendimento médio (-1,8%). A utilização da capacidade instalada (UCI) ficou em 79,3%, abaixo da média histórica, que é de 82,9%.
No caso da indústria extrativa, o número de empregos cresceu 1,2% no semestre. Mas os demais componentes mostraram queda: horas trabalhadas (-25,4%); massa salarial (-2,4%); rendimento médio (-3,7%); e UCI (-18,5%). Já a indústria de transformação registrou alta de 0,1% nos empregos. Mostraram recuo o número de horas trabalhadas (-0,8%), massa salarial (-1,6%) e rendimento médio real (-1,7%). A utilização da capacidade instalada subiu 1%.

Mensal – Conforme o levantamento, na passagem de maio para junho, a indústria geral mostrou melhora, com o faturamento crescendo 9%. Segundo Júlia Silper, a alta ocorreu por questões pontuais, não sendo possível falar em tendência de recuperação. “A melhora pode ter ocorrido por alguma unidade ter voltado à produção”, exemplificou. Nessa base, o faturamento da extrativa mineral caiu 2,4%, enquanto a indústria de transformação teve avanço de 9,4%.

Na relação junho 2018/junho 2019, a indústria geral mostrou queda de 10,7% no faturamento. A extrativa mineral caiu 45,4% nessa base, enquanto a transformação retrocedeu 7,1%. No acumulado de 12 meses, a indústria geral mostrou estabilidade (0%) nos resultados. A extrativa caiu 11%, enquanto o setor de transformação avançou 1,1%.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente