COTAÇÃO DE 13/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,0570

VENDA: R$5,0580

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1500

VENDA: R$5,2590

EURO

COMPRA: R$5,3163

VENDA: R$5,3179

OURO NY

U$1.810,48@

OURO BM&F (g)

R$303,69 (g)

BOVESPA

+1,17

POUPANÇA

0,6672%

OFERECIMENTO

Economia

Gerdau vai investir R$ 185 milhões na usina de Divinópolis

COMPARTILHE

A Gerdau deu início ao projeto de modernização da planta de Divinópolis | Crédito: Pedro Vilela / Agencia i7

Com investimentos de R$ 185 milhões, a Gerdau iniciou, neste mês, a execução do projeto para a modernização e melhoria dos processos na usina em Divinópolis, na região Centro-Oeste de Minas Gerais. A maior parte dos recursos, cerca de R$ 120 milhões, será direcionada à modernização dos três altos-fornos, que após a intervenção ganharão maior competitividade. O valor faz parte do pacote de investimentos de R$ 6 bilhões que a Gerdau anunciou, no ano passado, para Minas Gerais.

De acordo com o gerente executivo da usina da Gerdau em Divinópolis, Mauro Castro, a planta tem uma importância muito grande para os negócios da companhia.

PUBLICIDADE




“A gente vem, a cada ano, discutindo melhorias e formas de a gente se tornar mais sustentável no longo prazo e também mais competitivo.  Pensando nisso, este ano partimos para a execução do plano e o incremento de novas ações buscando competitividade, sustentabilidade e segurança operacional. O plano é bem completo e está atingindo, praticamente, todas as áreas da usina. A usina é completa, integrada, onde temos a área de altos-fornos, aciaria e laminação, além de toda a parte de utilidades. Todas estas áreas estão recebendo investimentos com foco em modernização e melhoria de processos”. 

A maior parte das intervenções será feita ao longo deste mês e a previsão é retomar a produção na primeira semana de junho. Com o investimento programado, foi feito estoque para atender a demanda dos clientes durante a parada para a modernização. O principal produto fabricado na unidade são os vergalhões, voltados para a construção civil.

A execução do projeto de modernização vai envolver cerca de 2 mil colaboradores diretos e indiretos, contratados exclusivamente para o processo de modernização da planta. O quadro atual de colaboradores será mantido.

“O planejamento está acontecendo há um ano e a gente acumulou estoques para atender os clientes. Tão logo termine a modernização, pretendemos, já na primeira semana de junho, voltar as operações à normalidade. A paralisação foi programada e planejada e, por isso, conseguimos nos preparar para não ter impacto no atendimento aos clientes”.

PUBLICIDADE




Ainda segundo Castro, a maior parte do investimento, R$ 120 milhões, é para os altos-fornos. Ao todo, são três altos-fornos que utilizam biomassa e todos passarão por reforma. 

“O alto-forno 2 terá uma reforma bastante completa de todo o sistema estrutural e refratário. No alto-forno 1 e alto-forno 3 serão feitas melhorias para que consigam ter maior competitividade. Na região dos altos-fornos também temos investimentos muito focados na área ambiental, um ponto fundamental da sustentabilidade. Teremos obras de enclausuramento de correias transportadoras para melhoria do controle ambiental, diminuindo a interferência do vento e a emissão de particulados”.

Serão reformados, ainda, o sistema de injeção de carvão vegetal pulverizado (ICP) do alto-forno para reaproveitamento dos finos do biorredutor no processo. O sistema de refrigeração também passará por uma revitalização estrutural.

Novo sistema

A aciaria passará por seis intervenções. Uma das novidades será a instalação de um novo sistema de monitoramento por termografia (temperatura), que permite uma análise em tempo integral das panelas de gusa e de aço. As câmeras possibilitam um melhor planejamento da manutenção dos equipamentos, por exemplo.

Outro eixo do plano é a automação e aperfeiçoamento da performance da laminação. Serão implementados, ao todo, sete projetos. As melhorias buscam otimizar o uso dos recursos e insumos como água e energia e a garantir um processo mais limpo.

“São várias iniciativas e inovações que dão continuidade ao nosso plano de sustentabilidade. Nosso investimento visa o ganho de eficiência energética. Quando fazemos a reforma, incorporamos melhorias nos métodos de produção, o grande vetor que nos orienta é o da eficiência energética. Também haverá investimentos na nossa parte de utilidades, que visa à redução do consumo de água. O nosso objetivo é nos tornarmos mais sustentáveis, competitivos e trazer maior segurança operacional”.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!