COTAÇÃO DE 26/02/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6050

VENDA: R$5,6055

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5730

VENDA: R$5,7530

EURO

COMPRA: R$6,7113

VENDA: R$6,7142

OURO NY

U$1.732,60

OURO BM&F (g)

R$307,54 (g)

BOVESPA

-1,98

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Ibovespa avança 1,9% e dólar recua para R$ 3,85

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Crédito: Paulo Whitaker/ Reuters

São Paulo – A bolsa paulista fechou em forte alta nesta quinta-feira, impulsionada por perspectivas otimistas sobre o andamento da reforma da Previdência, após o presidente Jair Bolsonaro se encontrar com líderes de partidos no Planalto na tentativa de integrar uma coalizão governista.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,93 %, a 96.313,06 pontos. O volume financeiro somou R$ 13,13 bilhões. Na máxima da sessão, principal índice de ações da B3 subiu 2%. No pior momento, recuou a 94.333,95 pontos.

PUBLICIDADE

“É uma combinação de dois fatores, uma releitura da queda do dia anterior e um otimismo com a tentativa de articulação por parte do governo”, afirmou Rafael Bevilacqua, estrategista chefe da consultoria independente de investimentos Levante.

Na véspera, o índice encerrou em queda de 0,94%, a 94.491,48 pontos, em reação de cautela de agentes do mercado diante de discussões intensas sobre a reforma da Previdência em audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Bolsonaro se reuniu com presidentes de partidos ontem e conseguiu diminuir a tensão, mas não conseguiu dos líderes partidários a promessa de apoio incondicional à proposta de reforma da Previdência e nem aumentar a base de apoio do governo.

“O mercado entende que ainda há muito o que acontecer, mas segue otimista”, acrescentou Bevilacqua.

O Ibovespa também recebeu apoio de um cenário externo mais positivo, na esteira da redução dos temores sobre o crescimento global e de sinais de avanço nas negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

Destaques – Kroton avançou 6,05%, após ter registrado na véspera menor valor de fechamento desde 22 de janeiro.

Eletrobras PNB valorizou-se 2,55%, tendo como pano de fundo notícias de que norte-americana Westinghouse está interessada em participar da concorrência internacional que será lançada no Brasil para a escolha de um parceiro estratégico para a conclusão da usina nuclear de Angra 3, segundo o ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque.

Petrobras PN subiu 3,38% e Petrobras ON avançava 3,29%, com agentes financeiros ainda atentos a desdobramentos relacionados à cessão onerosa. O ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, disse que está otimista quanto a um acordo sobre o tema na próxima semana.

Bradesco PN subiu 2,59%, enquanto Itaú Unibanco PN ganhou 1,5%, contribuindo para o viés positivo do Ibovespa.

Vale teve alta de 0,73%, na esteira do aumento dos preços de minério de ferro na China em meio a uma redução nos embarques do Brasil e da Austrália e uma demanda mais alta por parte dos chineses, indicando um aperto no mercado da matéria-prima.

BR Distribuidora valorizou-se 3,77%, após a cotação fechar na mínima do ano há cerca de uma semana.

Klabin perdeu 3,39%, enquanto Suzano recuou 3,11%, liderando as quedas do Ibovespa, após analistas do Credit Suisse cortarem a recomendação para as ações de ambas as empresas para ‘neutra’ e reduzirem os respectivos preços-alvos para R$ 53 e R$ 18, citando visão mais cautelosa com a demanda chinesa.

Dólar – O dólar fechou em queda ante o real, anulando a alta da véspera, conforme o mercado demonstrou alívio com as tentativas do governo de melhorar a articulação com o Congresso sobre a reforma da Previdência, num dia positivo para moedas emergentes no exterior.

O dólar à vista caiu 0,55%, a R$ 3,8575 na venda. Na quarta-feira (03), a cotação havia subido 0,57%, a R$ 3,8787. Na B3, a referência do dólar futuro cedia 0,31%, a R$ 3,8640.

O real teve nesta sessão o terceiro melhor desempenho entre as principais moedas globais, atrás apenas da libra esterlina e da lira turca. Outros pares do real, como peso mexicano e rand sul-africano também se apreciavam.

“Continuamos acreditando que a reforma da Previdência passará este ano, na Câmara, ainda que apenas no quarto trimestre. Nossa projeção já contemplava uma economia de R$ 700 bilhões (ao longo de uma década) a ser aprovada apenas em outubro, e mudou muito pouco” com os ruídos recentes, disse em nota a equipe da gestora Gauss Capital. (Reuters)

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente