Crédito: REUTERS/Ricardo Moraes

São Paulo – O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) subiu 1,46% na primeira prévia de agosto, depois de avançar 1,18% no mesmo período do mês anterior, refletindo aceleração dos preços no atacado em meio à alta das commodities, informou ontem a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do IGP-M, acelerou a alta a 1,85% no período, contra 1,56% na primeira prévia de julho.

O grupo formado por bens finais ampliou sua elevação a 0,90% na primeira prévia de agosto, após avanço de 0,21% em julho, impulsionado pelos alimentos in natura. O grupo de bens intermediários subiu 2,30%, ante 1,78% no mesmo período do mês anterior, influenciado pelo subgrupo de materiais e componentes para a manufatura.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no índice geral, registrou aumento de 0,32% na primeira prévia de agosto, abaixo do avanço de 0,47% do mês anterior.

O principal responsável por essa leitura foi o grupo de educação, leitura e recreação, que passou de alta de 0,90% no primeiro decêndio de julho para recuo de 0,93% em agosto, resultado da queda nos preços das passagens aéreas, cuja taxa passou de avanço de 15,96% para retração de 8,50%.

Já O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 1,26% na primeira prévia de agosto, em aceleração após alta de 0,19% na primeira leitura de julho. O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis. (Reuters)