Crédito: REUTERS/Rahel Patrasso

Rio de Janeiro – Os investimentos ganharam impulso no país em maio, mostrou o indicador de formação bruta de capital fixo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que marcou alta de 28,2% sobre abril na série com ajuste sazonal, após dois meses de quedas expressivas.

Em março e abril, o indicador caiu 13,4% e 27,5%, respectivamente, evidenciando o impacto da crise da pandemia do Covid-19 sobre a economia brasileira.

“O principal componente para o indicador de investimentos foi o consumo aparente de máquinas e equipamentos, puxado pelas importações”, disse o diretor de estudos do Ipea, José Ronaldo Souza Júnior, acrescentando que o setor de construção também teve forte expansão.

“Mas, apesar da alta de maio, os investimentos ainda ficaram 19,6% menores ante maio de 2019 o que mostra que temos um caminho a percorrer para atingir o nível anterior à crise.”

O indicador de FBCF do Ipea é composto por máquinas e equipamentos, construção civil e outros ativos fixos.

Em maio, houve crescimento de 68,7% nos investimentos em máquinas e equipamento frente a abril. A produção nacional desses bens avançou 22%, enquanto a importação cresceu 145,6% no mesmo período.

No mês, a construção civil cresceu 14,1% e o segmento de bens de capital, 28,7%.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, têm afirmado que há sinais claros de retomada da atividade econômica e que a trajetória da recuperação tende a ser em forma de V, ou seja, com uma rápida reação após a forte queda. (Reuters)