Brasília – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), determinou ontem o envio da proposta de reforma da Previdência, apresentada na quarta-feira (20) pelo governo do presidente Jair Bolsonaro, à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, mesmo que o colegiado não tenha sido sequer instalado.

No despacho, Maia mandou a proposta para a análise da CCJ, que inicialmente vai analisar se ela está dentro dos parâmetros constitucionais e legais e, depois, a proposta vai para a comissão especial, quando será avaliado o mérito propriamente dito.

Somente após vencer essas duas etapas nas comissões, é que a reforma da Previdência vai para o plenário da Câmara. Após isso, segue para a CCJ do Senado e plenário da Casa.

O presidente da Câmara pretende instalar a CCJ da Câmara na próxima semana. Será presidida por um deputado federal do PSL, partido de Bolsonaro, mas ainda não está decidido qual nome da legenda que vai comandar o colegiado.

O líder do DEM, deputado Elmar Nascimento (BA), afirmou que há expectativa de instalação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), primeiro colegiado por onde a reforma tramitará, na próxima terça-feira, data já anunciada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). “Está bem próximo de a gente fazer um acordo para poder instalar até todas (as comissões da Casa) na semana que vem”, disse o líder.