Harlen Duque reforçou que as 10 iniciativas resumem os anseios maiores do setor - Créditos: Filipe Rhodes

Os consumidores de Minas estão menos propensos a gastar em abril. Segundo a pesquisa Intenção de Consumo, divulgada na sexta-feira pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Minas Gerais (FCDL-MG), o índice de pessoas que disseram estar dispostas a fazer compras em abril é de 28,6%, com 71,4% pretendendo poupar.

Em março, a intenção de consumo foi de 34,4%, enquanto a de economizar foi de 64,6%. Em abril do ano passado, 34,7% dos entrevistados disseram que pretendiam comprar, enquanto 64,6% responderam que iriam poupar.

Economista da FCDL-MG, Vinícius Carlos considera que o fato de o Carnaval ter caído em março pode ter interferido nos resultados de abril. “A comemoração do Carnaval na primeira semana de março impulsionou a intenção de consumo naquele mês. Em seguida, há um retorno do indicador”, disse.

Por outro lado, a Semana Santa, que será comemorada em abril – Sexta-Feira Santa cai no dia 19 –, não foi suficiente para aquecer a intenção de consumo no mês.

O momento de mudança política no Estado também é citado pelo economista como um fator que interfere na pesquisa. Segundo ele, há ainda incerteza sobre as medidas a serem implantadas, o que deixa o consumidor mais cuidadoso.

“Os indicadores apontam para um momento positivo, mas na fase de transição o consumidor fica mais cauteloso”, explica.

Outro impacto vem do fato de o funcionalismo público estadual continuar a receber seus salários parcelados. Por fim, as exonerações promovidas pela atual gestão também interferem nos resultados.

Segmentos – A pesquisa da FCDL-MG mostra que, entre as pessoas que pretendem consumidor em abril, a maior parte – 40% – pretende fazer compras em supermercados e hipermercados. Vinícius Carlos considera que esse resultado mostra o impacto da Semana Santa, quando as pessoas costumam comprar produtos alimentícios para as festividades da Páscoa.

Além disso, como a recuperação da economia ocorre em ritmo aquém do esperado, boa parte dos consumidores ainda está direcionando seus gatos para produtos de primeira necessidade.

Em segundo lugar na preferência dos consumidores aparecem materiais de construção, com 20%. Essas compras são impulsionadas com o fim do período chuvoso, o que estimula obras e reformas. Outros segmentos citados pelos entrevistados foram automóveis (10%); autopeças (10%); computadores (10%); farmácia (10%).

Aplicações – Entre as pessoas que afirmaram ter intenção de investir o dinheiro em abril, 62,1% disseram que vão guardar o dinheiro na poupança.

As outras modalidades apontadas foram fundos de investimento (13,8%); tesouro direto (10,3%); previdência (6,9%); ações (3,4%); capitalização (3,4%).

O economista orienta as pessoas a se informarem sobre o rendimento de cada modalidade antes de decidirem onde aplicar o dinheiro.