COTAÇÃO DE 16 A 18/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4540

VENDA: R$5,4540

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4700

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,3181

VENDA: R$6,3210

OURO NY

U$1.767,23

OURO BM&F (g)

R$309,68 (g)

BOVESPA

+1,29

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Minas tem maior criação de vagas em fevereiro desde 2011

COMPARTILHE

Crédito: Pedro Ventura/ABr

Assim como no Brasil, o saldo de empregos também manteve o saldo positivo em Minas Gerais no segundo mês de 2019. Em fevereiro, Minas Gerais registrou superávit de 26.016 postos de trabalho, o melhor resultado para o mês desde 2011, quando o saldo de vagas chegou a 36.053. As atividades de serviços e indústria da transformação – em especial o setor calçadista – puxaram o desempenho.

De acordo com o Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados (Caged), divulgado ontem (25) pelo Ministério da Economia, as admissões somaram 164.718 vagas no mês passado, enquanto as dispensas 138.702 no Estado. O resultado é 260% superior aos 7,2 mil postos gerados na mesma época do ano passado.

PUBLICIDADE

Quando considerado o primeiro bimestre do ano, o superávit chegou a 27.554. O resultado ocorreu da formalização de 307.704 trabalhadores e da demissão 280.150 entre janeiro e fevereiro. Nos primeiros dois meses de 2018 o saldo havia ficado positivos em 16,1 mil empregos.

Já quando considerados os últimos 12 meses, o número chegou a 89.720, proveniente de 1,79 milhão de admitidos e 1,7 milhão de desligados.

Considerando o resultado mensal, o setor de serviços foi o principal responsável pela geração de saldo positivo em Minas. Ao todo, as admissões do setor somaram 66.263 e as dispensas atingiram 51.572 pessoas, resultando em um saldo positivo de 14.691 postos de trabalho no segundo mês de 2019.

A indústria da transformação apareceu logo em seguida com um saldo de 5.860 vagas. Neste caso, as contratações chegaram a 28.151 e as demissões 22.291. Entre os subsetores, a indústria calçadista se destacou com superávit de 1.833, assim como a indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico, com saldo positivo de 1.209.

Já no acumulado do ano, o setor de serviços também foi responsável por alavancar o aumento. No bimestre, o setor foi responsável pela abertura de 17.109 vagas por meio da contratação de 120.680 trabalhadores e desligamento de 103.571 profissionais. No acumulado dos 12 meses o saldo da atividade chegou a 51.620 empregos em Minas Gerais.

Neste tipo de confronto, a indústria da transformação acumulou 8.703 vagas, com 51.590 pessoas admitidas e 42.887 trabalhadores desligados. Já nos últimos 12 meses, a atividade apresentou superávit de 5.373 empregos.

LEIA TAMBÉM:

Marinho: resultado sinaliza retomada

Comércio – Vale destacar que o comércio continua apresentando números negativos no emprego formal em Minas Gerais. Em fevereiro, o setor apresentou déficit de 419 vagas, uma vez que foram admitidas 34.036 pessoas e dispensadas outras 34.455 no mesmo período.

Assim, somente no primeiro bimestre, a atividade já acumula a extinção de 7.447 vagas de emprego, com 65.628 contratações menos 73.075 demissões entre os dois primeiros meses de 2019.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!