COTAÇÃO DE 29/11/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6090

VENDA: R$5,6100

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6470

VENDA: R$5,7730

EURO

COMPRA: R$6,3216

VENDA: R$6,3229

OURO NY

U$1.783,43

OURO BM&F (g)

R$322,48 (g)

BOVESPA

+0,58

POUPANÇA

0,4412%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia
Crédito: Ricardo Moraes/Reuters

O ano começou com saldo positivo de empregos com carteira assinada em Minas. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados ontem pelo Ministério da Economia, o saldo de postos de trabalho no Estado foi de 1.492, tendo sido registradas 141.716 admissões e 140.224 demissões. Entretanto, no comparativo com igual mês do ano passado, ocorreu redução de 82% no saldo de empregos. Em janeiro de 2018, foram gerados 8.336 postos de trabalho (diferença entre 139.731 admissões e 131.395 demissões).

Em janeiro de 2019, entre os oito setores analisados, cinco mostraram saldo positivo, com três mostrando queda. O segmento que mais contratou foi a construção civil, com saldo de 3.545 postos de trabalho (19.046 admissões e 15.592 demissões). Em seguida, estão indústria de transformação, com saldo de 2.816 vagas; e serviços, com 2.465. Também apresentaram saldo positivo indústria extrativa mineral (116); serviços industriais de utilidade pública (44).

PUBLICIDADE

Por outro lado, o setor que mais fechou postos de trabalho foi o comércio, que em janeiro apresentou saldo negativo de 7.000 vagas (31.387 admissões e 38.387 demissões). Também registraram queda agropecuária (-307) e administração pública (-96).

Dentro da indústria de transformação, o melhor resultado veio do segmento calçadista, com saldo positivo de 1.180 vagas em janeiro. Também se destacaram indústria mecânica (790) e indústria têxtil (762). Por outro lado, tiveram queda a indústria do material de transporte (-336) e indústria química (-324).

Quanto aos serviços, os setores com os melhores resultados foram serviços médicos, odontológicos e veterinários, com saldo de 1.743 empregos; e comércio e administração de imóveis, com 1.252. As perdas ocorreram nos setores de alojamentos e alimentação, com resultado negativo de 825 vagas; e ensino (-36).

Em janeiro de 2018, o resultado positivo foi puxado pela indústria de transformação, com 6.024 vagas. Em seguida vêm construção civil 3.587; serviços (1.518); agropecuária (1.098); serviços industriais de utilidade pública (745). Tiveram números negativos indústria extrativa mineral (-32); comércio (-4.508); administração pública (-105).

Leia também:

Brasil gerou 34.313 vagas em janeiro

Acumulado – No acumulado de 12 meses, o saldo está positivo em Minas, com 73.561 vagas (1.764.187 admissões e 1.690.626 demissões). Nessa base comparativa, o setor campeão de abertura de vagas foi o de serviços, com saldo de 46.236. Em seguida estão construção civil (15.830); Comércio (7.178); indústria de transformação (3.351); extrativa mineral (736); serviços industriais de utilidade pública (500); agropecuária (352). A administração pública foi o único a mostrar resultado negativo, com perda de 622 postos de trabalho.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!