Crédito: REUTERS/Sergio Moraes

Rio de Janeiro – O volume de serviços no Brasil cresceu 0,8% em outubro, a segunda alta seguida do setor e a maior para esse mês desde 2012, divulgou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, a taxa registrou 1,5%, maior valor do ano.

Em setembro e outubro, o ganho acumulado do setor foi de 2,2%. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o avanço foi de 2,7%. Já no acumulado de janeiro a outubro de 2019, cresceu 0,8%.

Rodrigo Lobo, gerente da pesquisa, destacou que os resultados dos últimos quatro meses superaram as perdas do primeiro semestre do ano. “O setor de serviços assinala um crescimento acumulado de 3% entre julho e outubro deste ano, revertendo a perda de 1,8% observada no período de janeiro a junho de 2019”, disse Lobo.

De acordo com o IBGE, o setor apresentou crescimento em quatro das cinco atividades pesquisadas. Os segmentos de tecnologia da informação e audiovisuais impulsionaram a alta em serviços de informação e comunicação, com registro positivo de 1,8%.

Outros que apresentaram avanços foram os setores de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (1,1%), além de serviços prestados às famílias (1,5%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (0,1%).

A taxa negativa de outubro ficou por conta do setor de outros serviços, com queda de 0,3%. Segundo o IBGE, a queda foi ocasionada pela coleta de lixo e gestão de redes de esgoto.

Unidades da federação – Entre os números regionais, 22 das 27 unidades da federação registraram avanço em outubro na comparação com setembro. Santa Catarina mostrou crescimento de 3,7%, enquanto o Rio de Janeiro teve alta de 2%. São Paulo apontou 0,5%.

Os resultados que tiveram maior queda para o mês ficaram com Roraima (-7,9%), Acre (-4,5%) e Tocantins (-1,9%).

Na comparação com outubro do ano passado, o volume do setor de serviços mostrou expansão nas cinco atividades de divulgação e em 88 dos 166 tipos de serviços investigados.

“Vale destacar que outubro de 2019 teve um dia útil a mais do que outubro de 2018, o que pode ter contribuído para uma maior efetivação de contratos de prestação de serviços”, explicou o IBGE.

O ramo de serviços de informação e comunicação exerceu a contribuição positiva mais relevante de outubro de 2019, de 5,1%, impulsionado, entre outros fatores, pelo aumento na receita das empresas de portais, provedores de conteúdo e ferramentas de busca na Internet.

Os setores de serviços profissionais, administrativos e complementares cresceram 2,6%, enquanto outros serviços registrou 4,2%, serviços prestados às famílias mostrou 2,5% e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio apontou 0,3%. (Folhapress)