Wilson Leal*

O conhecimento pode ser entendido como umas das respostas da humanidade aos seus desafios e ganhou renovado destaque perante a atual pandemia. Entre as áreas do conhecimento, a engenharia é um destaque pela sua histórica capacidade de resolver problemas e pela dinâmica de suas inovações tecnológicas, nas mais diversas áreas das necessidades e anseios da humanidade.

Foi assim nas guerras, na corrida espacial e não será diferente no combate ao Covid 19. Seja através dos equipamentos hospitalares, passando pelos dispositivos de diagnósticos e nos laboratórios que desenvolvem as vacinas, as diversas modalidades da engenharia estão presentes e desafiadas para inovar com soluções de massa e velocidade.

Além disso, a sociedade passou a depender ainda mais da tecnologia e dos processos aplicados à logística, à comunicação, à produção, à informática, para preservar sua saúde e garantir sua sobrevivência, no presente e no futuro, qualquer que seja ele.

Imaginando este cenário, é possível acreditar que a engenharia terá mais peso ainda e, com isso, novas oportunidades estão sendo criadas para os seus profissionais. Uma forma de identificar oportunidades inovadoras neste momento é imaginar as necessidades e anseios futuros dos clientes, dos mercados e das mudanças exigidas nos atuais produtos.

Algumas empresas já mostraram este caminho. A mudança de layout nos assentos de ônibus e aviões, o crescimento expressivo das vendas e a logística on-line, aumentando sua participação no varejo de 6% para os atuais 17% e com previsão de que chegue a 23% até o final do ano.

A Sociedade Mineira de Engenheiros (SME) está atenta ao papel inovador da engenharia e, por isso, realizou o seminário “Fazendo a Inovação Acontecer”, em novembro de 2019, alcançando conclusões importantes, como:

• A inovação e a tecnologia devem criar valor para o cliente e retorno para a empresa. Não devem ser feitas por modismo nem desalinhadas da estratégia e do momento empresarial.

• A inovação aberta e o concurso de startups e empresas de base tecnológica devem ser consideradas junto ao esforço próprio de desenvolvimento das empresas.

• A cultura e o ambiente organizacional devem ser favoráveis à criatividade e à inovação e dotados de tolerância aos erros bem intencionados e com orçamentos que absorvam os riscos naturais do processo inovador.

Destaco duas iniciativas da Diretoria de Inovação da SME que demonstram o papel protagonista da mesma e sua visibilidade como entidade representante da engenharia mineira. A primeira foi estabelecer uma parceria com a multinacional israelense Goldratt Consulting e que resultou na primeira Live SME sobre “Inovação na Engenharia”, em 18 de maio.

O evento apresentou o case da Mazda do Japão mostrando como sua engenharia, ao empregar a metodologia TOC (Teoria das Restrições, na tradução para o português) conseguiu para reverter o prejuízo consecutivo de três anos que a empresa vinha tendo, agravado pelo tsunami de 2011. A empresa adotou o foco no desenvolvimento de produto com know-how e know-why próprios, seguido de expressiva redução no prazo de lançamento de veículos com a tecnologia Skyactiv.

Uma segunda iniciativa e muito relevante para o futuro da entidade e de seus associados, é o desenvolvimento do projeto Hub SME de Engenharia. Trata-se de um projeto em fase de implementação com a Neoventures e outros membros da equipe. O projeto é a resposta moderna da entidade para conectar o substrato de conhecimento e experiência dos associados, startups e empresas de base tecnológica, com a demanda empresarial.

Nesse processo, as empresas e clientes apresentarão suas necessidades e problemas através de editais que serão respondidos dentro do hub pelas fontes de conhecimento interessadas. A iniciativa terá impacto econômico e de empregabilidade relevantes, conforme já experimentado pela Neoventures.

Neste cenário de pandemia principalmente, recomendo participar das iniciativas abrangentes da SME orientadas a trazer valor aos associados e impactos nos negócios e nas carreiras.

*Engenheiro e diretor de Inovação da SME e Engagement Director da Goldratt Consulting