A meta da Anglo American é adquirir 100% de energia de fonte renovável até 2022 e reduzir 30% da emissão de gás carbônico até 2030 | Crédito: Divulgação

Minas Gerais vai ganhar mais uma usina solar fotovoltaica, desta vez para atender a uma demanda da Anglo American. A Atlas Renewable Energy, líder em energia limpa na América Latina e a mineradora celebraram o maior contrato de compra e venda de energia solar em larga escala do Brasil, mediante aportes de R$ 881 milhões.

O fornecimento de energia limpa ocorrerá a partir da usina solar da Atlas Casablanca, a ser instalada em Pirapora, no Norte de Minas.

De acordo com o gerente-geral da Atlas Renewable Energy para o Brasil, Luis Pita, a construção da usina deverá ter início no segundo semestre deste ano e a previsão é que operações comecem em janeiro de 2022. Com capacidade instalada de 330 megawatts (MW) e mais de 800 mil painéis, a usina produzirá energia suficiente para abastecer uma cidade de 1,4 milhão de habitantes, conforme o consumo médio de uma família brasileira.

“Trata-se do maior contrato de fornecimento de energia solar no Brasil entre duas empresas e representa o compromisso da Atlas em desenvolver contratos bilaterais para o fornecimento de energia limpa a empresas de alto nível que compartilham nossa preocupação ambiental”, afirmou.

Segundo ele, o projeto será um passo importante da atuação da empresa em Minas Gerais. “Nossa perspectiva é desenvolver um portfólio na região Sudeste e Minas é um dos estados mais relevantes para o mercado na região. Por isso, deveremos crescer bastante no Estado”, completou.

O diretor comercial da Altas Renewable Energy no Brasil, Luis Ballester, por sua vez, destacou que o investimento será de grande relevância para Minas e que foi viabilizado pelo bom relacionamento com as autoridades (Prefeitura e Estado) e também pelo fato de a Anglo American já operar em terras mineiras.

“Este projeto é um exemplo da capacidade da Atlas em criar soluções favoráveis, de baixo custo e personalizadas para parceiros industriais. Temos o interesse de desenvolver projetos inovadores que ajude a melhorar a vida das pessoas. Nossa experiência e recursos financeiros são um diferencial importante para as empresas implementarem soluções de energia limpa do desenvolvimento à operação”, ressaltou.

De acordo com a Atlas, a empresa apresentará os módulos bifaciais na usina, uma tecnologia avançada na geração de energia solar. Esses painéis solares usam o reflexo dos raios solares dos lados dianteiro e traseiro, o que melhora a eficiência da conversão fotoelétrica e aumenta a geração e a eficiência da usina.

Além disso, como parte do compromisso com o Estado, a companhia desenvolverá, com as comunidades locais, planos que contribuam para a melhoria de suas condições de vida. Durante a construção e operação do projeto, diferentes programas de treinamento serão implementados na região.

Meta – Já a Anglo American destacou que o acordo, que terá duração de 15 anos, aproxima a empresa da meta de adquirir 100% de energia elétrica a partir de fontes renováveis até 2022 e também ajudará o grupo a reduzir 30% da emissão de gás carbônico até 2030, conforme especificado em seu Plano de Mineração Sustentável.

“Esse acordo, somado ao contrato assinado em dezembro de 2019 para a construção de uma planta de energia eólica na Bahia, nos permitirá obter 90% de nossa energia de fontes renováveis, possibilitando uma redução de 40% nas emissões de gases associadas às nossas atividades no País”, explicou o CEO da Anglo American no Brasil, Wilfred Bruijn, por meio de nota.