COTAÇÃO DE 03-12-2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6790

VENDA: R$5,6800

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,7000

VENDA: R$5,8300

EURO

COMPRA: R$6,3643

VENDA: R$6,3655

OURO NY

U$1.784,10

OURO BM&F (g)

R$321,33 (g)

BOVESPA

+0,58

POUPANÇA

0,4739%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Finanças

Economistas melhoram de novo projeção e estimam recuo menor do PIB em 2020

COMPARTILHE

Crédito: Ueslei Marcelino/Reuters

São Paulo – O mercado voltou a ajustar a expectativa de contração da economia brasileira neste ano, esperando agora queda de menos de 6% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central (BC) nessa segunda-feira (20).

Os economistas passaram a ver retração do Produto Interno Bruto de 5,95% este ano, contra recuo de 6,10% estimado na semana passada. Essa foi a terceira vez seguida em que a pesquisa mostrou melhora da estimativa.

PUBLICIDADE

O resultado reflete uma contração também menor esperada para a indústria este ano, de 7,86% contra queda de 9% prevista para a produção antes.

Para 2021, os especialistas consultados continuam vendo um crescimento do PIB de 3,50%, com a indústria apresentando avanço de 4%.

Inflação – O levantamento semanal mostrou ainda que a inflação permanece estimada em 1,72% este ano e 3,0% no próximo. O centro da meta oficial de 2020 é de 4% e, de 2021, de 3,75%, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Para a taxa básica de juros também não houve mudanças e a Selic segue sendo calculada a 2,0% ao fim de 2020 e a 3,0% em 2021.

O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, elevou ligeiramente a conta para a Selic este ano a 2,0%, de 1,88% na mediana das projeções antes. Para 2021, permanece em 2,38%. (Reuters)

Neto reforça que eventual ajuste na Selic será residual

Brasília – O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, reiterou ontem que um eventual ajuste futuro na Selic será residual e que novas informações sobre a evolução da pandemia de coronavírus e uma diminuição das incertezas fiscais serão essenciais para seus próximos passos.

A mensagem, que vem sendo repetida pelo BC desde que cortou em junho a taxa básica de juros em 0,75 ponto, ao patamar atual de 2,25% ao ano, consta em apresentação de Campos Neto publicada pelo BC por conta de sua participação em reunião fechada com investidores promovida pelo Santander.

No documento, o BC voltou a exibir gráfico de vendas no varejo da Cielo, desta vez atualizado até 11 de julho, para reforçar mensagem de que dados preliminares de varejo indicam recuperação parcial do setor.

A linha de venda de bens não duráveis, que em um gráfico até 4 de julho passou a caminhar no campo positivo – ou seja, mostrando crescimento do faturamento nominal -, seguiu nessa trajetória nos dias subsequentes.

Campos Neto também repetiu que as saídas de capital do País vão se acomodar e que as contas externas vão melhorar. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!