COTAÇÃO DO DIA 22/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4780

VENDA: R$5,4790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5070

VENDA: R$5,6470

EURO

COMPRA: R$6,6088

VENDA: R$6,6101

OURO NY

U$1.853,68

OURO BM&F (g)

R$ (g)

BOVESPA

-0,80

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Finanças livre
Página Inicial » Finanças » Emissões de empresas superam R$ 81 bi no ano

Emissões de empresas superam R$ 81 bi no ano

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Crédito: Divulgação

São Paulo – As emissões das empresas brasileiras no mercado de capitais totalizaram R$ 19,7 bilhões em março e R$ 81,4 bilhões no primeiro trimestre. De acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), mesmo com a crise desencadeada pela pandemia de Covid-19, as captações acumuladas no ano avançaram 34% sobre igual período de 2019, em que chegavam a R$ 60,6 bilhões.

Em março, 28 operações com debêntures movimentaram R$ 5,6 bilhões, o maior volume entre os demais instrumentos. No ano, 67 emissões de debêntures acumularam R$ 16,8 bilhões, contra R$ 28,1 bilhões no mesmo intervalo de 2019, ainda que com número menor de operações (56). As ofertas de ações concentraram o maior montante captado no primeiro trimestre, R$ 31,2 bilhões, com resultado impactado pelo follow-on (oferta subsequente) da Petrobras de R$ 22 bilhões. No mês de março, foram contabilizados três IPOs (ofertas iniciais), somando R$ 2,6 bilhões.

Entre as demais ofertas realizadas em março, destacam-se as de FIDCs (Fundos de Investimento em Direito Creditório), com R$ 4,6 bilhões, e as de fundos imobiliários (produtos híbridos entre renda fixa e variável), com R$ 3,7 bilhões.

No acumulado do primeiro trimestre, chegam a R$ 13,1 bilhões e a R$ 10,5 bilhões, respectivamente, superando os resultados obtidos no mesmo período do ano passado, de R$ 7,3 bilhões e de R$ 6,5 bilhões, na mesma ordem.

Até o fim de março, o mercado de capitais contava com quinze operações em andamento, de CRAs (Certificados de Recebíveis Agrícolas), CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários), FIDCs e fundos imobiliários, somando R$ 6,9 bilhões. Outras 41 ofertas, incluindo debêntures, CRAs, CRIs, FIDCs, IPOs e fundos imobiliários, estão em análise pela Comissão de Valores Mobiliários ou pelo convênio entre a Anbima e a autarquia, podendo chegar a R$ 5,5 bilhões.

Mercado externo – As empresas brasileiras não realizaram operações no mercado externo durante o mês de março. No primeiro trimestre, nove ofertas de renda fixa e uma de renda variável totalizaram R$ 38,7 bilhões (US$ 9,1 bilhões). (Com informações da Anbima)

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente