COTAÇÃO DE 26/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$6,6420

VENDA: R$6,6450

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Finanças

Reserva de emergência vira prioridade entre aplicações de brasileiros em meio à pandemia

COMPARTILHE

Crédito: DIVULGAÇÃO

Pela primeira vez, a compra da casa própria não é o principal destino para o dinheiro economizado pelas pessoas das classes A, B e C. Em tempos de pandemia, a segurança falou mais alto: a necessidade de manter uma reserva de emergência ou um dinheiro guardado por segurança subiu na preferência desses brasileiros. É o que mostra pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) em parceria com o Datafolha, que ouviu 3,4 mil pessoas da população economicamente ativa das classes A, B e C em todas as regiões do País.

Desde o início do levantamento, há quatro anos, a compra de um imóvel ou terreno liderava com larga vantagem as respostas quanto ao destino a ser dado para as aplicações financeiras. Em 2020, no entanto, essa intenção de investimento perdeu nove pontos em relação ao ano anterior: 26% dos investidores indicaram o direcionamento do dinheiro para a compra de imóveis, frente a 35% em 2019 e 33% em 2018.

PUBLICIDADE

A queda foi liderada pela classe C. Nesta faixa, 26,7% apontaram o sonho da casa própria em 2020 como algo a ser alcançado com os investimentos. O percentual era de 38,6% um ano antes, com queda de 11,6 pontos de um ano para o outro. Na classe B, esse recuo foi menor, de 3,8 pontos (passou de 30% em 2019 para 26,2% em 2020), baixando para 2,4 pontos entre os entrevistados da classe A (de 25,5% para 23,1%).

Com isso, a compra da casa própria ficou tecnicamente empatada com a intenção de formar uma reserva de emergência, apontada como destino para as aplicações por 27% das pessoas que tinham algum dinheiro guardado em 2020. O percentual ficou 10 pontos acima do registrado em 2019.

A intenção de formar uma reserva de emergência cresceu na preferência de todas as classes sociais: subiu 11,8 pontos entre os entrevistados da classe A, 11,1 pontos na classe C e 7,8 pontos na classe B.

“A pandemia trouxe essa conscientização sobre a necessidade de ter algum dinheiro guardado para emergência. Ainda é cedo para saber se as pessoas vão, de fato, transformar essa intenção em atitude no futuro, mas é positivo perceber maior propensão ao planejamento”, diz Marcelo Billi, superintendente de Comunicação, Certificação e Educação de Investidores da Anbima.

Os demais destinos para as economias dos brasileiros das classes A, B e C são aposentadoria, viagem, compra de carro/moto e investir no próprio negócio, sem variação significativa em relação ao ano anterior.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!