COTAÇÃO DE 23 A 25/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,6750

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Gestão Gestão-destaque

FDC lança movimento para capacitar empreendedores

COMPARTILHE

Crédito: Freepik

A pandemia global do novo coronavírus trouxe novos desafios para os microempreendedores populares – somente no Brasil, são 9 milhões de microempreendedores, além de 38 milhões de trabalhadores informais.

Para impulsionar o desenvolvimento econômico e o bem-estar social por meio da gestão e do empreendedorismo, a Fundação Dom Cabral, 9ª melhor escola de negócios do mundo e primeira da América Latina, segundo ranking do Financial Times, lançou o movimento Pra>Frente, que irá capacitar 1 milhão de empreendedores populares brasileiros.

PUBLICIDADE

Desde o início do projeto, já foram mais de mil pessoas, entre voluntários e empreendedores, cadastrados para participar. Por meio do movimento, a FDC também tem articulado junto a grandes empresas doações de recursos que serão destinados ao apoio às organizações sociais.

O próximo passo do movimento é a criação de um Fundo de Apoio ao Empreendedorismo com aplicação dos recursos arrecadados na capacitação de microempreendedores, de líderes comunitários e também para incubação de negócios sociais.  A auditoria do movimento é realizada pela Grant Thorton.

A Grant Thornton Brasil, uma das maiores empresas de auditoria e consultoria do mundo, com presença em mais de 140 países, prestará serviços de auditoria, pro-bono, das demonstrações financeiras do movimento. O trabalho será coordenado pelo sócio e líder do escritório de Belo Horizonte, Daniel Vieira.

De acordo com o CEO da empresa no Brasil, Daniel Maranhão, “a ideia é reafirmar o compromisso da Grant Thornton de atuar de maneira consistente em ações e projetos relacionados à inclusão e diversidade, empreendedorismo e voluntariado. A empresa observa com bastante atenção todos os setores da economia e está entre seus valores auxiliar a sociedade e os negócios por meio de sua expertise. Fazer parte deste projeto da Fundação Dom Cabral atesta o nosso compromisso de trazer transparência aos processos, parceiros e a sociedade, incentivando projetos importantes”, afirma o executivo.

O movimento é composto de cinco pilares principais: (1) Ferramentas; (2) Incentivo e Capacitação; (3) Desenvolvimento do ecossistema; (4) Acesso ao crédito e (5) Rede de prosperidade – voluntários, empresas, organizações sociais e poder público. Inscrições para apoio e participação como voluntário ou microempreendedor podem ser feitas pelo site.

Por se tratar de um movimento, o Pra>Frente reúne parceiros – como o G10 Favelas – entre empresas, organizações sociais e poder público. A ideia é articular uma grande rede voltada à prosperidade social – daí seu potencial de alcance. O primeiro ciclo do projeto envolveu cerca de 70 empreendedores.

Neste período, também foi firmada parceria com o Consulado da Mulher (Whirlpool) para capacitação de mulheres de baixa renda. O projeto Mãos de Maria, da comunidade de Paraisópolis, em São Paulo, também já implementou algumas das melhorias derivadas da parceria e atualmente, 300 mulheres estão sendo inscritas em um programa de gestão e empreendedorismo do movimento.

Segundo Ana Carolina Almeida, Gerente de Projetos da FDC e responsável pelo movimento Pra>Frente, “a iniciativa pretende fortalecer o ecossistema de empreendedorismo brasileiro, contribuindo com a redução das desigualdades sociais no Brasil.” A crença de que os negócios devem ser propulsores do bem-estar social está presente nas ações da Fundação Dom Cabral desde o seu início, há mais de 40 anos.

Embora tenha sido lançado no contexto da pandemia, o Pra>Frente tem foco no futuro. Ou seja, irá fomentar conhecimentos que vão impulsionar a transformação e a escalabilidade dos negócios sociais, para que eles progridam durante, mas, sobretudo, após o fim do contexto de isolamento social.

O movimento utiliza metodologia do Banco Mundial para fomento do microempreendedorismo e abrange conceitos como iniciativa, persistência e visão de futuro. Também é utilizada toda a experiência da FDC com a iniciativa Empreenda, que desde 2016 já apoia microempreendedores sociais.

Voluntariado – Outra frente de atuação é o voluntariado. A FDC tem atraído, desenvolvido e engajado profissionais com diferentes áreas para compartilharem sua experiência com os empreendedores. Nas sessões de mentoria, é feita a troca de conhecimentos, suporte na busca de soluções e alternativas para sobrevivência e impulsionamento do negócios, assim como é oferecido apoio psicossocial. Entre os temas abordados, estão controle de orçamento, controle de fluxo de caixa e precificação.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!