A construção do estádio do Atlético receberá investimentos de R$ 560 milhões | Crédito: BRUNO CANTINI / AGÊNCIA GALO / ATLÉTICO

A torcida atleticana já pode começar a contagem regressiva para ocupar as arquibancadas da Arena MRV. Com as obras de terraplenagem iniciadas em meados de abril, o estádio do Clube Atlético Mineiro, localizado no bairro Califórnia, na região Noroeste da Capital, teve, enfim, sua pedra fundamental lançada. Com aportes de R$ 560 milhões, a inauguração do estádio está prevista para 2022. A responsável pela execução do empreendimento é a Racional Engenharia e a MRV Engenharia Participações S/A é detentora do naming rights.

Em entrevista coletiva no lançamento da pedra fundamental e do Centro de Experiências da arena, um espaço preparado para receber visitantes enquanto o estádio não fica pronto, o presidente da MRV, Rafael Menin, ressaltou a aposta da construtora no empreendimento, a começar pelo naming rights, que leva a marca.

Marketing esportivo é algo muito bacana. A MRV tem por tradição, há anos, apoiar o esporte como um todo, não apenas o futebol. E isso vai muito além da exposição da marca. Queremos criar um vínculo com torcedores e apreciadores das atividades. Fizemos a questão do naming rights com muito cuidado e já temos visto resultados”, comentou.

Com a obtenção do alvará de construção do empreendimento no início de setembro, foram liberadas as obras de fundação e edificação do estádio. Informações da imprensa dão conta de que o documento foi concedido pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) no dia 26 de agosto e dias depois validado pela Secretaria de Política Urbana.

Dessa maneira, foi liberado o início da construção civil. Neste ponto, conforme a Arena MRV, por enquanto seguem os trabalhos de terraplanagem e, nas próximas semanas, terão início as obras de fundação.

Menin também disse na entrevista que a expectativa para o pico da obra é que haja cerca de mil trabalhadores no canteiro de obras. E que o número total de empregos formais durante todo o período de obra deverá ser ainda maior, uma vez que diversas fases acontecerão ao longo dos próximos anos. “Considerando postos indiretos, serão mais de 3 mil”, citou.

Em relação aos aportes, o presidente da MRV detalhou que, dos R$ 560 milhões, pelo menos R$ 100 milhões serão aplicados em obras viárias e na melhoria da infraestrutura no entorno do estádio.

Com aportes de R$ 560 milhões, a inauguração da Arena MRV está prevista para 2022; obras de terraplenagem do estádio do Atlético Mineiro foram iniciadas em meados de abril | Crédito: Divulgação/Arena MRV

Contrapartidas sociais – Outras contrapartidas sociais previstas estão a reconstrução da unidade básica de saúde (UBS) do bairro Califórnia; a criação do Instituto Galo, voltado para o desenvolvimento de atividades e projetos de assistência pública e social, cultura, educação e lazer, com centro de línguas, inovação e criatividade para alunos da rede pública.

“A Arena MRV é um projeto no modelo ganha-ganha: será bom para o torcedor e bom para a economia da cidade. Teremos, por exemplo, uma casa de eventos que receberá eventos de outras áreas que não apenas o futebol. Além disso, quem mora na região vai ter uma infraestrutura melhor de trânsito, com passarelas e acesso ao metrô. Estamos muito felizes de apoiar e fazer parte deste empreendimento”, revelou.

O estádio está sendo construído em um terreno de 128 mil metros quadrados, dos quais, 114,6 mil está sendo preparado pelas obras de terraplenagem e a área construída total será de 179 mil metros quadrados. O espaço está sendo concebido no formato de Arena Multiuso e terá capacidade para receber 46 mil torcedores, contando ainda com 42 bares, 80 camarotes e 2.333 vagas de estacionamento.

CONTRAPARTIDAS SOCIAIS

  • R$ 80 milhões de investimento na infraestrutura urbana da região;
  • Reconstrução da unidade básica de saúde (UBS) do bairro Califórnia;
  • Criação do Instituto Galo, voltado para o desenvolvimento de atividades e projetos de assistência pública e social, cultura, educação e lazer, com centro de línguas, inovação e criatividade para alunos da rede pública.

CONTRAPARTIDAS AMBIENTAIS

Além dos 26 mil m² de área verde ao lado do estádio, a Arena MRV será responsável pela regularização fundiária em área de conservação correspondente a mais que o dobro da vegetação nativa suprimida.

O terreno definido para essa contrapartida fica no Parque Nacional da Serra da Gandarela, no município de Rio Acima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A área será destinada ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia de regime especial, vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, e que integra o Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama).

ARENA MRV

• Dimensão do terreno: 128 mil m²

• Área construída: 179 mil m²

• Capacidade: 46 mil torcedores

• Portões: 18

• Setores de arquibancada: 9 – 4 inferiores e 5 superiores

• Vagas de estacionamento: 2.333

• Bares: 42

• Camarotes: 80

As áreas internas são divididas em 9 pavimentos, distribuindo perfeitamente estacionamentos, arquibancadas, camarotes, lounges, áreas para imprensa e para jogadores.

• Elevadores: 21

• Parque Linear: 76 mil m² (Mata dos Morcegos)

• Reserva Particular Ecológica: 26 mil m² (APP)

Em caso de emergência, a evacuação do estádio ocorre em até 8 minutos