COTAÇÃO DE 03-12-2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6790

VENDA: R$5,6800

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,7000

VENDA: R$5,8300

EURO

COMPRA: R$6,3643

VENDA: R$6,3655

OURO NY

U$1.784,10

OURO BM&F (g)

R$321,33 (g)

BOVESPA

+0,58

POUPANÇA

0,4739%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios zCapa

BeGreen faz parceria com Aliansce Sonae para a implantação de hortas urbanas

COMPARTILHE

Crédito: DIVULGAÇÃO / BEGREEN

Tamanho sucesso da BeGreen, primeira Fazenda Urbana da América Latina, que o modelo vai ser reproduzido Brasil afora. A empresa, sediada em Belo Horizonte, se juntou à maior administradora de shoppings do País, a Aliansce Sonae, formando a joint venture BeGreen Malls, para instalação de hortas urbanas em, pelo menos, 10 empreendimentos do grupo.

Embora não tenha revelado o valor do negócio, o CEO da BeGreen, Giuliano Bittencourt, disse que ainda neste ano devem ser inauguradas mais duas fazendas da BeGreen com a Aliansce, no Parque D. Pedro, em Campinas, e no Shopping Taboão, em Taboão da Serra, ambas em São Paulo. Em dois anos, serão oito no total, inclusive em empreendimentos no Nordeste e no interior do Brasil.

PUBLICIDADE

“A parceria com a BeGreen cria uma nova área ao ar livre para convivência e eventos relacionados a bem-estar, sustentabilidade, saúde e conscientização. Assim, conseguiremos otimizar o espaço físico de nossas plataformas, que passam a ser uma nova praça de eventos e reforça o propósito dos nossos shoppings, que é promover ambientes para muito além de centros de compra, que apresentem experiências únicas a seus visitantes, com iniciativas de sustentabilidade e vida saudável, além do mix completo de serviços e de produtos”, comentou o CEO da Aliansce Sonae, Rafael Sales.

Além dessas e de modelos junto a empresas, a BeGreen também está se preparando para inaugurar, em 2021, uma das maiores fazendas urbanas do mundo, em uma área de 10 mil metros quadrados, também em São Paulo.

“O ano começou com muitas expectativas, já estávamos negociando o acordo com a Aliansce, mas a pandemia acabou atrasando um pouco o processo de expansão. Ao mesmo tempo, tivemos aumento considerável nas vendas B2C, diretas para o consumidor final, através da Box BeGreen, já que o consumidor tem buscado cada vez mais comodidade e produtos de qualidade”, afirmou.

Para se ter uma ideia, nos últimos meses, período em que muitos negócios foram afetados pela crise econômica causada pelo novo coronavírus, a BeGreen registrou crescimento de 300% nas vendas. Assim, para o exercício, prevê um crescimento de 103% no faturamento de 2020.

“Já prevíamos esse tipo de demanda, mas a pandemia acelerou alguns processos que viriam a ocorrer daqui a alguns anos. Agora, a tendência é que permaneçam, pois as pessoas se habituaram a consumir alimentos saudáveis, com comodidade e valores acessíveis. Nosso plano de assinatura de hortaliças, por exemplo, permite que as pessoas recebam semanalmente nas casas delas box contendo frutas, legumes verduras, frescas sem desperdício e agrotóxico”, ressaltou.

Para isso, a BeGreen criou planos que levam diretamente ao consumidor os alimentos cultivados em suas fazendas urbanas e também itens de parceiros que se alinham com as práticas de produção e os conceitos da empresa.

As cestas contêm variedade de hortaliças 100% livres de agrotóxicos com quatro alfaces baby, quatro folhosas e um tempero. A quantidade foi planejada para atender o consumo médio de até três pessoas por semana. Mas cada cliente pode escolher um dos planos de assinatura que atenda a sua necessidade e receber uma Box BeGreen em casa, uma ou mais vezes por semana.

O valor varia de acordo com a periodicidade e as entregas são feitas nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, onde estão localizadas as fazendas urbanas. “Em Belo Horizonte já existem planos que incluem legumes e frutas. As hortaliças são colhidas diariamente e seguem direto para o consumo. É como ter uma horta no quintal”, citou.

Modelo de fazenda urbana da BeGreen será reproduzido em mais 10 shoppings Brasil afora | Crédito: DIVULGAÇÃO BEGREEN

Modelo produz mais em um espaço menor

O sistema de cultivo da fazenda urbana, segundo o CEO da BeGreen, Giuliano Bittencourt, é mais eficiente, pois produz mais alimentos em um espaço menor. Através de estufas planejadas para aproveitar melhor as áreas urbanas, não há a necessidade de ocupar grandes campos ou terrenos para cultivar milhares de hortaliças toda semana, de forma permanente.

Para isso, a empresa utiliza técnicas inteligentes, como a hidroponia, que permite o cultivo fora do solo, e a aquaponia, em que peixes ajudam na limpeza e na nutrição da água que irriga diretamente as raízes das plantas. Em comparação ao cultivo tradicional, esse sistema gera uma economia de 90% do consumo de água.

Em relação ao modelo de fazenda urbana, a BeGreen desenvolveu tecnologia interna e uma forma de produzir até 28 vezes mais do que no modelo tradicional, no campo. As estufas são todas monitoradas com software proprietário que regulam fatores como umidade, temperatura, PH, condutividade e luminosidade. Assim, atua no ambiente seguro da estufa para que as hortaliças cresçam de forma mais saudável possível em um período até 40% menor. A empresa também possui uma tecnologia para produção indoor, através de led.

 

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!