COTAÇÃO DE 17/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2660

VENDA: R$5,2660

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2500

VENDA: R$5,4230

EURO

COMPRA: R$6,4106

VENDA: R$6,4134

OURO NY

U$1.866,89

OURO BM&F (g)

R$316,43 (g)

BOVESPA

+0,87

POUPANÇA

0,2019%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios Negócios-destaque
Interessado em vender o carro pode usar o espaço para mostrar o veículo, diz Mendes | Crédito: Divulgação/StacioCar

O mercado de veículos usados segue aquecido e a pandemia não parece ter diminuído o ímpeto de vendedores e compradores. Segundo relatório da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), o mercado de carros usados movimentou 1.467.037 veículos em outubro de 2020. O resultado nas vendas ficou 5% maior que o verificado em setembro. Foram comercializados 1.467.037 veículos, contra 1.397.247. Outro dado positivo divulgado é que o resultado de outubro de 2020 já é 9,1% maior do que o mesmo mês de 2019.

Ao mesmo tempo, porém, muita gente ainda não se sente confortável para receber possíveis compradores em casa por conta do risco de contaminação por Covid-19 ou não pode ficar à disposição durante o dia para receber os interessados. De olho nesse filão, o empresário Hoberdan Mendes criou um coworking de carros usados, o StacioCar, que funciona no estacionamento do Supermercado Extra, no bairro Buritis, região Oeste.

PUBLICIDADE

A ideia é que o interessado em vender o carro alugue uma vaga no espaço por um valor mensal. A partir daí, com o carro no local, a equipe especializada da StacioCar oferece uma série de orientações em relação ao veículo, indicando melhorias, lavagem e reparos, se necessários, e o cliente decide onde fazer e se vai fazer. Há também orientação em relação aos sites para anúncio do veículo de acordo com o modelo, marca etc. Além disso, a equipe produz as fotos e texto para anúncio e o cliente paga o anúncio diretamente ao site.

A negociação, porém, é feita diretamente entre proprietário e comprador, sem intermediação nem comissionamento do espaço. “Essa onda de compartilhamento vem crescendo muito e surgiu a ideia de fazer um coworking de carro. Muita gente hoje quer vender o carro, mas não quer receber ninguém em casa ou no trabalho. A opção que existe é deixar o carro em consignação em uma concessionária e pagar comissão pela venda. Não é isso que vamos fazer, em hipótese alguma. Nosso trabalho é de locação do espaço e assessoria”, explica Mendes.

A StacioCar vai oferecer, ainda, um escritório compartilhado com internet para que os encontros e negociações sejam realizados. O carro pode ser retirado e reconduzido ao espaço no momento que o proprietário quiser, respeitado o pagamento mensal e o horário de funcionamento do espaço.

“Vamos prestar assessoria para melhorar a oportunidade de venda. Tem coisa que chega a ser engraçada, tem gente que leva o carro sujo. Alguém se sente atraído por um produto sujo? Podemos indicar fornecedores para os serviços que serão necessários, mas a escolha será sempre do proprietário. Não vamos executar nenhum serviço mecânico e nem test-drive”, pontua.

A StacioCar consumiu um investimento de R$ 300 mil, será administrada pela Consultville e pode receber até 150 veículos concomitantemente.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!