Acesso à arte e à cultura está mantido, destaca Oliveira | Crédito: Divulgação

A Bienal Mineira do Livro anuncia seu mais novo eixo: a “Bienal Mineira do Livro na sua Casa”. Possibilitando a interação por meio de atividades nas redes sociais da bienal, o novo eixo reforça a missão da bienal de estimular a leitura e de valorizar os livros, os autores, as editoras, as livrarias e as distribuidoras. A primeira edição piloto foi realizada, com sucesso, entre os dias 20 e 30 de abril.

Conforme explica o diretor-geral da bienal Marcus Ferreira, “atentos ao contexto pelo qual estamos passando, a ‘Bienal na Sua Casa’ é uma notícia excelente para as editoras, livrarias e distribuidoras que já estão conosco. Muito mais do que uma resposta aos desafios impostos pelo Covid-19, a ‘Bienal na Sua Casa’ será um produto permanente – totalmente digital – para estarmos mais perto do nosso público até o momento no qual estaremos efetivamente juntos.

Com a participação de um novo parceiro o ‘Programa Eu Faço Cultura’, vamos divulgar livros – e seus autores -, estimular a leitura e a cadeia econômica do livro, com a disponibilização de 4.000 cupons para resgate e recebimento de livros gratuitamente”.

A Secretaria de Estado da Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) também apoia Bienal Mineira do Livro 2020. De acordo com o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, essa parceria é fundamental para que a Secult, por meio da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, continue oferecendo conteúdo de qualidade a seu público.

“O período de distanciamento tem nos mantido em casa, mas isso não quer dizer que as atividades estão paralisadas. Temos pensado e executado sistematicamente, por meio das redes sociais, ações e conteúdos diversos para que nosso público continue tendo acesso à arte e à cultura”, destaca Oliveira.

A presidente da Câmara Mineira do Livro, Gláucia Gonçalves, ressalta a importância da “Bienal na sua Casa”: “Transformar desafios em oportunidades é o nosso propósito. A ‘Bienal na sua Casa’, essa importante interação, por meio das redes sociais, conectará mais pessoas ao livro e leitura, fortalecendo laços com a Bienal e seus expositores, autores e leitores, até que realizemos o evento presencial. Queremos ser lembrados e estar dentro da casa das pessoas, levar conhecimento e despertar o prazer em conquistar a sua maior paixão, o livro! Nesse momento delicado que vivemos, a importância de adaptar essa nova forma de trabalho é uma maneira de aproximar, movimentar e conectar o nosso público”.

Com o tema “Conquiste Paixões. Leia Livros”, a Bienal Mineira do Livro chega à 6ª edição e promete, durante os 10 dias de programação, transformar Belo Horizonte na capital nacional da literatura. A iniciativa é realizada pelo Grupo Asas em parceria com Câmara Mineira do Livro e é viabilizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

Bienal na Sua Casa – A “Bienal na Sua Casa” tem como objetivo criar – e enriquecer – a conexão entre a iniciativa e os seus futuros visitantes. Todas as atividades serão realizadas nas redes sociais da bienal: no Instagram @bienalmineiradolivro e, simultaneamente, no Facebook. Os conteúdos em vídeos serão também disponibilizados no canal da bienal do Youtube, possibilitando que as interações também aconteçam nesta plataforma.

A 1ª edição da “Bienal na Sua Casa” foi realizada de 20 a 30 de abril de 2020, com participação de várias editoras, editores, autores e muitos leitores. A segunda edição acontece até 31 de maio de 2020 com, pelo menos, uma interação por dia.

Serão vários tipos de interações: lives (transmissões ao vivo), séries de vídeos, enquetes, podcasts, entrevistas ao vivo ou gravadas, sorteios e postagens com as mais diversas informações. A bienal na sua casa será realizada mensalmente, com duração de 10 dias, até dezembro de 2020 e será reeditada nos próximos anos.

Programa Vale-livro com apoio do “Programa Eu Faço Cultura” – A “Bienal Mineira do Livro na Sua Casa” despertou interesse e conquistou o importante apoio do “Programa Eu Faço Cultura” que promove o estímulo ao conhecimento dos bens e valores culturais, mediante a distribuição gratuita e pública de ingressos e produtos culturais, dentre eles, livros.

O “Programa Eu Faço Cultura” é uma inciativa de sucesso, realizada desde 2006 pela Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), em conjunto com as 27 Associações do Pessoal da Caixa (Apcefs). As duas entidades mobilizam milhares de empregados da Caixa para a destinação de parte do seu imposto de renda para o Programa.

David Borges, diretor do Instituto Fenae Transforma, responsável pela Programa Eu Faço Cultura, registra: ”É um prazer participar dessa cadeia de valor, que contribui para que Cultura seja de fato um bem universal e de fácil acesso para a maior parte da população! A função do Eu Faço Cultura é precisamente facilitar essa conexão entre quem produz cultura e quem gostaria de consumir e, por razões econômico-sociais, não tem fácil acesso a esse tipo de produtos. Então, uma parceria com a Bienal faz total sentido, possibilitando, através da distribuição dos cupons para resgate online de livros, que o confinamento não seja impedimento para que as pessoas comecem ou continuem a ler. Isso faz parte intrinseca da missão do Programa.”

O Vale-livro Eu Faço Cultura, da Bienal Mineira do Livro na Sua Casa, disponibilizará, em um primeiro ciclo, 4.000 cupons para o resgate – e recebimento em casa – de livros por parte de milhares de beneficiários, gratuitamente. A depender do sucesso, no mínimo, outros quatro ciclos serão realizados em 2020.

Os perfis dos beneficiários serão: escolas públicas; microempreendedores individuais (MEI); instituições beneficentes; beneficiários de todos os programas sociais do governo como: bolsa família; pessoas com deficiência; e idosos. Todos eles poderão efetuar o resgaste de cupons na plataforma do “Eu Faço Cultura” e escolher o seu livro no site da Bienal Mineira do Livro, clicando na opção “Bienal na Sua Casa/Resgate de Livros”. (Da Redação)

34ª mostra de São Paulo lança site bilíngue

A 34ª Bienal de São Paulo – Faz escuro mas eu canto, que realizará sua mostra coletiva de 3 de outubro a 13 de dezembro de 2020 (datas atuais que podem sofrer alterações devido à pandemia de Covid-19), lançou o site bilíngue da edição. Por meio do endereço http://34.bienal.org.br/, é possível ter acesso a todos os detalhes sobre as mostras coletiva e individuais, à publicação educativa e a textos inéditos sobre os artistas participantes.

Navegando pelo site, o internauta pode acessar os detalhes das exposições (tanto da mostra coletiva quanto das individuais), conhecer mais profundamente os artistas já anunciados, visualizar o calendário completo do ano, baixar materiais educativos e publicações relacionadas, acessar vídeos e áudios produzidos pela Fundação para esta edição e entrar em contato com outros conteúdos referenciais, como imagens de obras dos artistas convidados, trocas curatoriais e assuntos complementares.

O site permanecerá uma plataforma viva até o final do programa de mostras itinerantes, que acontece tradicionalmente no ano seguinte à cada edição da bienal. Dessa forma, novos conteúdos serão publicados ao longo do próximo ano e meio, incluindo textos inéditos sobre os artistas, publicações, produtos audiovisuais e registros de ações.

O site faz parte de um amplo e longevo projeto da Fundação Bienal de investimento em iniciativas digitais de produção e difusão de conteúdos. A primeira bienal a ter uma site próprio foi a 23ª, em 1996, quando a internet ainda estava se popularizando no Brasil, e a prática foi mantida ininterruptamente desde então.

Além disso, desde a 29ª edição, além de um site próprio, as mostras passaram a contar ainda com visitas virtuais. A Fundação, que alcança expressivos números de seguidores e engajamento nas redes sociais, conta também com o Portal Bienal, uma plataforma que reúne todos os sites das exposições e conteúdos exclusivos sobre as diversas iniciativas culturais da Fundação, além do acervo digitalizado do Arquivo Histórico Wanda Svevo.

“Trabalhar para que cada vez mais pessoas tenham acesso à arte contemporânea é uma das principais missões da Fundação Bienal e, em um País com a escala do Brasil, os meios digitais são importantes para alcançar esse objetivo. Para nós, os sites das Bienais são ferramentas que podem complementar a experiência do visitante ao espaço expositivo: eles não a substituem, mas oferecem conteúdos adicionais e outras formas de se relacionar com as mostras. A arte é uma parte intrínseca do que significa ser humano. Agora, quando nós, enquanto sociedade, enfrentamos um desafio gigantesco, a produção cultural e simbólica é mais necessária do que nunca. E, ao menos enquanto não pudermos frequentar fisicamente as exposições, as iniciativas digitais ganham relevância como possíveis fontes de experiência estética”, afirma o presidente da Fundação Bienal de São Paulo, José Olympio da Veiga Pereira. (Da Redação)