Crescem, agora, as expectativas para as vendas de Natal, que tendem a aumentar e prometem movimentar o varejo - Crédito: CDL/Divulgação

As vendas durante a Black Friday superaram a expectativa dos setores de comércio e serviços de todo o País. Em Belo Horizonte, as lojas ficaram cheias na sexta, dia 29, e o movimento se estendeu durante todo o fim de semana. De acordo com pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), um total de R$ 2,09 bilhões dever ser injetado no comércio da Capital em função da data e a expectativa de crescimento é de 2,9% nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado.

“Estamos acompanhando a retomada gradual da economia, o que vem refletindo positivamente nas vendas do varejo ao longo do ano e não foi diferente na Black Friday. A cada ano, o evento se consolida mais entre os empresários como uma boa oportunidade para aumentar as vendas e para os consumidores adquirem produtos com preços diferenciados”, explica o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. “Com o intenso movimento que tivemos nos últimos dias, devemos ultrapassar a expectativa inicial de vendas na Black Friday”, completa. O pagamento da primeira parcela do 13º salário e a injeção do FGTS na economia contribuíram para o aumento das vendas da Black Friday e prometem aquecer ainda mais o comércio no Natal.

Após a Black Friday, a partir de agora, as vendas de Natal tendem a aumentar e prometem movimentar o varejo da capital mineira. A expectativa da CDL/BH é que R$ 3,39 bilhões sejam injetados no comércio de Belo Horizonte com as vendas de Natal, uma alta de 3,62% em relação ao mesmo período do ano anterior. “Estamos com indicadores macroeconômicos como inflação e taxa de juros em patamares menores, além da redução do desemprego. Juntos, estes fatores contribuem para que os belo-horizontinos tenham renda disponível para retornarem ao mercado do consumo”, explica o Souza e Silva. “Além disso, com a redução da inadimplência, os moradores da Capital novamente têm acesso ao crédito, o que é muito importante para o aquecimento do comércio”, acrescenta. De acordo com pesquisa realizada pela CDL/BH, 75,3% dos consumidores irão presentear neste Natal. Esse percentual é 1,2% maior em relação a 2018.

Tíquete médio – Com um cenário econômico melhor, o consumidor da capital mineira vai desembolsar, em média, R$ 102 por presente. Quando comparado com o tíquete médio do ano passado, houve um aumento de 16,2% no valor do presente. E os produtos preferidos para presentear são: roupas (84,6%), calçados (43,4%), brinquedos (42,3%), joias e bijuterias (7,4%), cosméticos e perfumes (4%), eletrônicos (3,4%), cestas de chocolates e panetones (2,3%), livros (1,7%), utensílios domésticos e itens de decoração (1,7%), eletrodomésticos (1,1%), acessórios (0,6%), violão (0,6%) e material esportivo (0,6%).

Decoração de Natal – Um dos eventos mais esperados do calendário natalino de Belo Horizonte, a iluminação da Praça da Liberdade terá, neste ano, um custo total de R$ 500 mil. A decoração contará com 1.500 jogos de micro lâmpadas de led – mais econômicas que micro lâmpadas convencionais – e mais de 300 jogos de strobos, que irão iluminar a praça e o entorno durante as festividades de fim de ano. Esses conjuntos de lâmpadas irão formar imagens como estrelas e árvores de Natal para iluminar calçadas, alamedas, canteiros, palmeiras, fonte e coreto da praça e levar a magia natalina aos milhões de moradores de Belo Horizonte e visitantes que passarem pelo local entre os dias 11de dezembro a 6 de janeiro de 2020.

A iluminação da Praça da Liberdade, um dos maiores cartões postais de Belo Horizonte, terá a iluminação garantida graças a união de forças entre a Cemig, a CDL/BH, a MRV, o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), o Circuito Praça da Liberdade, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e a Gerdau. Também participam, por meio de apoio institucional, a Prefeitura de Belo Horizonte, a Belotur, a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros e a Guarda Municipal, bem como a Arcelor Mittal, a Associação Mineira de Supermercados (Amis), a Olimpo Segurança e o Sicoob Divicred, na forma de parceria. O objetivo é manter vivo o espírito de harmonia e congregação das famílias que o Natal simboliza. (Da Redação)

Cielo aponta expansão de 18,1%

São Paulo – As vendas no varejo brasileiro cresceram 18,1% na Black Friday deste ano ante o mesmo período de 2018, conforme dados do Índice Cielo de Varejo Ampliado (ICVA) divulgados ontem pela empresa de meios de pagamentos.

O faturamento nominal do comércio eletrônico entre quinta-feira e domingo aumentou em 19,7% e das lojas físicas mostrou alta de 17,9%.

Em relação aos setores, a categoria turismo e transporte teve o melhor desempenho, com crescimento nominal de 29,7%, seguido por livrarias, papelarias e afins, com alta de 27,5%, e supermercados e hipermercados, com aumento de 22,9%.

A região Norte mostrou o maior avanço, de 26,8%, enquanto o Sul teve acréscimo de 20% e o Sudeste registrou aumento de 17,4%. Nordeste teve incremento de 16,2% e Centro-Oeste apurou crescimento de 13,8%. (Reuters)