Igor Santos diz que o serviço é direcionado a empresas do setor de turismo, como hotéis e agências de viagem - Crédito: Divulgação

A startup mineira C2C Services inova no setor de turismo e oferece uma solução de call center compartilhado. Com sede no bairro Lourdes, na região Centro-Sul da Capital, a empresa viu seus resultados dobrarem no último ano, quando adotou um software que permite a identificação da origem dos clientes e a oferta de atendimento personalizado às marcas. Para 2019, a meta é repetir o desempenho do ano anterior e dobrar a receita.

O diretor de novos negócios, Igor Santos, explica que o serviço é direcionado a empresas do setor de turismo, como hotéis e agências de viagem. Segundo ele, essas empresas já atuam de forma automatizada e boa parte dos processos, como reserva de quartos ou voos, não precisa da intervenção humana. Mesmo assim, essas empresas são obrigadas a ter pelo menos um funcionário para o atendimento de demandas que não podem ser resolvidas on-line.

“As empresas têm um custo para manter esse funcionário, mas na prática elas só precisavam de uma parte do tempo desse colaborador. E é por isso que o nosso serviço faz sentido para esses negócios: eles vão terceirizar a única coisa que não podem automatizar”, destaca.

O diretor destaca que, além de redução de custo, o cliente ganha o diferencial de um atendimento 24 horas, o que seria praticamente impossível para o empresário manter por conta própria.

Santos afirma que a especialização no setor de turismo permite que o atendimento aos clientes das empresas seja especializado. Isso é possível porque os atendentes são treinados para os temas do segmento, mas também porque a startup adotou um software que ajuda a identificar de qual empresa veio o cliente.

“Por meio do software o atendente sabe de quem é o cliente e veste o chapéu daquela empresa, se identificando como funcionário da agência ou do hotel em questão”, explica.

Mesmo com a crise econômica, a C2C Services registra resultados positivos. No ano passado, a empresa dobrou o faturamento, desempenho que foi conquistado principalmente por conta da adesão ao software que permite a personalização do atendimento. Hoje, a empresa tem 20 clientes em diferentes estados e 22 atendentes em seu call center.

Para 2019, a meta de Santos é investir no comercial e no convencimento dos empresários do setor sobre as vantagens de um call center terceirizado. Ele espera dobrar o número de clientes e, consequentemente, o faturamento e o número de funcionários.